Hipertensão essencial

Quando a causa da pressão arterial elevada é desconhecida

Cerca de 90 por cento dos casos de hipertensão arterial (HTA) não têm causa definida. É a chamada hipertensão essencial. Esta percentagem elevada e este diagnóstico não excluem a necessidade de investigar para encontrar uma causa tratável.

Se não for encontrada, deve fazer-se o tratamento contínuo e diário da HTA. No entanto, esta deve ser confirmada pelo seu médico, pois uma medição ocasional não é suficiente para fazer o diagnóstico.

A ausência de sintomas durante a fase inicial da doença faz da medição regular da tensão arterial um hábito a seguir. Todos os adultos, em particular obesos, diabéticos e fumadores ou com história de doença cardiovascular na família, devem medir a pressão arterial pelo menos uma vez por ano.

Se algum tempo após ter posto em prática estas medidas não tiver registado uma descida adequada da pressão arterial, deverá recorrer ao tratamento farmacológico. Os medicamentos não curam a HTA, só ajudam a controlá-la. Assim, o tratamento deverá, em princípio, ser mantido ao longo da vida. A medicação deverá ser indicada pelo médico.

Como prevenir

A adoção de um estilo de vida saudável é a melhor forma de evitar a ocorrência de hipertensão arterial. Estas são as regras que deve seguir:

- Reduza a ingestão de sal.

- Opte por uma dieta rica em frutas, vegetais e com baixo teor de gorduras saturadas.

- Consuma álcool moderadamente (um máximo de 30 ml etanol/dia nos homens e 15 ml/dia para as mulheres).

- Deixe de fumar.

- No caso dos indivíduos obesos, é aconselhável perder peso.

- Pratique exercício físico regularmente. Prefira marcha, corrida, natação ou dança. Os hipertensos devem evitar atividades que aumentem a pressão arterial durante o esforço, como levantar pesos. Devem preferir os exercícios isotónicos e nunca os isométricos.

Comentários