Há um novo tratamento para os miomas uterinos

Por Daniel Pereira da Silva, Médico Ginecologista
Os miomas são tumores benignos que aparecem na camada muscular do útero (miométrio). São o tumor genital mais frequente da mulher - 30 a 60% apresentam miomas uterinos entre os 40 e os50 anos, com ou sem sintomas associados.



Sintomas



Em cerca de metade dos casos não há qualquer sinal ou sintoma. Nessas circunstâncias só o exame ginecológico regular e a ecografia pélvica os deteta. Nos casos em que existem sintomas associados, que dependem do volume e localização dos mesmos, estes podem ser bastante intensos e causar muito desconforto, sensação de mal estar na pélvis ou mesmo dor.



As queixas dependem de dois fatores principais:



- Os miomas que crescem para dentro do útero (submucosos) provocam mais hemorragias e podem ser causa de infertilidade ou perturbação da gravidez.



- Os miomas que crescem para fora do útero (subserosos) são por vezes assintomáticos, mas podem provocar perturbações urinárias ou digestivas, conforme o seu volume e compressão das estruturas vizinhas (bexiga, uréter, ansas intestinais, nervos e vasos sanguíneos).



Quando os miomas apresentam sintomas provocam perda da qualidade de vida, pois são a causa de alterações na vida pessoal e íntima da mulher, podendo mesmo perturbar a sua fertilidade.



Tratamento



Nos casos em que as mulheres são afectadas no seu dia-a-dia, o tratamento adequado é o que proporciona a recuperação da sua qualidade de vida.



A abordagem terapêutica depende dos sintomas existentes, da idade e da vontade da mulher. Se for possível controlar os sintomas com terapêutica médica, esta deve ser preferencial. Entre as várias técnicas cirúrgicas, existem as minimamente invasivas – laparoscópica e robótica, e ainda as técnicas de cirurgia convencional que permitem retirar o mioma e preservar o útero, ou realizar a histerectomia.



Mais recentemente surgiu uma nova opção terapêutica – acetato de ulipristal - sob a forma de comprimidos, que são administrados diariamente com a duração máxima de 3 meses por cada ciclo de tratamento.

Comentários