Gripes e constipações

Veja tudo o que pode fazer para se proteger ou para se livrar delas

Prepare-se para dar luta nesta verdadeira guerra fria. Não vire as costas às constipações e não tenha medo de uma janela aberta em pleno inverno, pois pode ser a opção mais saudável para evitar o vírus.

Em média, calcula-se que um adulto se constipa duas a quatro vezes por ano e que nas crianças o número duplica. A verdade é que todos sucumbimos a este mal e com a chegada da época fria as hipóteses de adoecer aumentam.

Perceba, por isso, do que se trata e qual a melhor defesa contra estes vírus que se preparam para lhe declarar guerra e para viver a estação fria munida das armas que lhes vão fazer frente.

Como identificar:

- Constipação

A vulgar constipação é uma infeção das vias respiratórias superiores provocada por um ou vários rinovírus (que afetam o nariz). Calcula-se que existem 250 tipos diferentes, o que torna a conceção de uma vacina muito difícil.

Dissemina-se através de partículas de saliva que, pelo ar ou por mãos contaminadas, entram em contacto com a face. Os seus sintomas são menos intensos do que os que caracterizam a gripe e mesmo constipados podemos prosseguir com a nossa rotina.

- Gripe

A gripe possui outro arsenal de ataque. Este vírus, também denominado influenza, é um dos
pesos-pesados das infeções respiratórias e tem capacidade para nos deixar prostrados.

Propaga-se de forma semelhante à constipação e define-se em três tipos. A, B e C. Os dois primeiros são os principais responsáveis pelas infeções que conhecemos. O vírus do tipo C é mais generoso com o nosso organismo pois pode ser assintomático ou apenas provocar sintomas semelhantes a uma constipação.

A melhor forma de prevenção é a vacina contra a gripe, mas existem outras maneiras de se acautelar na época fria.

Como prevenir:

- Lave as mãos

No caso dos vírus respiratórios a estratégia de defesa é a prevenção. Uma das armas mais eficazes é simples e consiste em lavar as mãos frequentemente. Estudos realizados por cientistas
norte-americanos provaram que quem lava as mãos pelo menos sete vezes por dia sofre um quarto das constipações de quem o faz mais raramente.

Se não tiver água por perto opte por toalhetes ou líquidos anti-sépticos. Objetos partilhados, como telefones ou torneiras de casa de banho, podem conter o vírus que resiste várias horas no exterior.

- Evite o contacto físico

Minimize também o contacto com as pessoas infetadas. Se alguém na sua família ficar doente a exposição ao vírus é inevitável, mas redobre os cuidados com a higiene. Em público, se perceber que está perto de uma pessoa com o vírus tente afastar-se.

Salas com grande aglomeração de pessoas ou transportes públicos devem ser arejados para garantir uma boa ventilação. Não tenha receio de uma janela aberta no inverno, pois é mais saudável do que permanecer num local fechado sem renovação de ar.

- Mantenha-se em boa forma

Mantenha o seu sistema imunitário em ótima forma para garantir uma boa performance face a este inimigo invisível. Adotar uma dieta equilibrada rica em fruta e vegetais repletos de vitaminas naturais, garantir horas suficientes de sono, praticar exercício físico e evitar o cigarro são passos importantes para assegurar que, mesmo confrontado com estes e outros vírus, o seu corpo tem meios para se defender.

Como tratar:

- Constipação

Para a constipação não existe um tratamento específico, pelo que apenas se faz uma gestão dos sintomas. Existem fórmulas no mercado que ajudam a lidar com o nariz entupido ou a garganta inflamada e permitem recuperar algum conforto. Para acelerar o recobro combine o repouso com a ingestão de líquidos que promovem o descongestionamento das vias respiratórias. Os sintomas da gripe são muito mais intensos, mas mesmo esses devem ser aliviados com o uso de analgésicos e antipiréticos contra as dores e o mal-estar.

- Gripe

Existem também medicamentos anti-virais exclusivos para a gripe que podem encurtar a duração da doença e provocar uma melhoria dos sintomas. A sua utilização deve restringir-se a casos específicos e sempre mediante prescrição médica. Totalmente contraindicado para a gripe é o uso de antibióticos, cuja principal função é matar bactérias e nada faz contra os vírus.

Podem ser utilizados se o quadro clínico se desenvolver para uma sinusite ou pneumonia, mas o uso indevido pode comprometer a sua eficácia quando forem necessários. Se adoecer, a fórmula ideal para a recuperação é repousar, ingerir muitos líquidos e seguir uma dieta equilibrada, assim como as recomendações do seu médico. Vitória garantida!

A vacina

A vacina deve ser administrada nos meses de outubro e novembro, demora duas semanas a surtir efeito e a sua eficácia ronda os 80 por cento. É prescrita por um médico e administrada prioritariamente aos grupos de risco (idosos, portadores de doenças crónicas e grávidas).

Os adultos saudáveis também podem ser vacinados, mas como se trata de uma doença benigna e o número de vacinas disponíveis é limitado, os grupos de risco são prioritários. A sua prescrição é contraindicada para quem tenha alergia à proteína do ovo ou tenha tido reacções adversas a uma vacinação anterior.

Remédios caseiros para diminuir os efeitos da constipação:

- Gargareje com água salgada morna para confortar a garganta irritada

- Use e abuse dos sumos de citrinos, como a toranja. Estes frutos são ricos em vitamina C que ajuda a encurtar uma constipação

- Aposte na canja de galinha. Além ser um caldo nutritivo, é uma boa maneira de desentupir o nariz

- Ponha fim à expetoração experimentando chá de flor de sabugueiro, um poderoso anti-sético

- Utilize óleos de eucalipto ou hortelã-pimenta em banhos de vapor ou compressas para descongestionar as fossas nasais.

Texto: Paula Nascimento

artigo do parceiro:

Comentários