Fumar aumenta o risco de doenças intestinais

Os médicos sabem que fumar pode aumentar o risco de certas doenças inflamatórias intestinais comuns como a doença de crohn ou colite, mas num novo estudo muitos pacientes não têm presente esta informação.

Os médicos sabem que fumar pode aumentar o risco de certas doenças inflamatórias intestinais comuns, mas num novo estudo muitos pacientes não têm presente esta informação.

Foram analisados 239 pacientes com dois tipos comuns de doenças inflamatórias intestinais - a doença de Crohn e colite - Apenas metade estavam cientes dos riscos que fumar pode desenvolver quando associado a essas condições patológicas.

O principal autor do estudo Dr. Stephanie Ducharme-Benard, da Universidade de Montreal Hospital Center, acrescenta no Journal of Clinical Gastroenterology.

"A mensagem a reter é que para pacientes com este tipo de patologias, fumar pode afectar a sua doença"

" As doenças inflamatórias intestinais envolvem inflamação crónica ou recorrente do tracto gastrointestinal. A colite e doença de Crohn são as formas mais comuns. Pessoas com Crohn tem inflamação ao longo de todo o tracto digestivo, enquanto que na colite, apenas o intestino grosso é inflamado."


Pesquisas anteriores já haviam ligado o tabagismo a um risco de doença de Crohn e suas complicações, mas também sugeriu que os fumardores têm menor risco para a colite"

Para o estudo recente, os cientistas questionaram 182 pessoas com doença de Crohn e 77 pessoas com colite sobre seu diagnóstico, sintomas, história de tabagismo, e a compreensão de como o uso do tabaco podem estar relacionadas ao desenvolvimento da sua doença ou complicações.

A maioria dos pacientes do estudo eram brancos, do sexo feminino, e estavam na faixa etária dos 40 anos.

Em comparação com pacientes com colite, os pacientes com doença de Crohn usam mais corticosteróides e outros medicamentos para controlar os sintomas, tendo mais situações de internamento, cirurgias e tempo perdidos no trabalho, como resultado de sua doença. Mas ambos os grupos consideram a sua doença como bem controlada.

A maioria dos fumadorees que foram informados sobre os efeitos do hábito na sua doença, disseram aos cientistas que tinham a intenção de parar de fumar, em comparação com menos de metade dos participantes que não entendiam os riscos.

"As pessoas pensam na doença de Crohn e colite como 'intestino apenas, olhando para o tabagismo como factor de risco apenas para problemas pulmonares"

refere o Dr. Miguel Regueiro, que lidera o programa clínico na Universidade de Pittsburgh School of Medicine.

Uma das limitações do estudo é a sua dependência de pacientes para recordar com precisão e relatar os seus hábitos tabágicos.

Mas a mensagem para os pacientes deve ser clara, Dr. Gilaad Kaplan, pesquisador gastroenterologia da Universidade de Calgary, em Alberta, disse por e-mail.

"O passo mais importante que um indivíduo pode tomar para prevenir as doenças inflamatórias do tracto intestinal é em primeiro lugar não fumar".

Afinal fumar prejudica muito mais que apenas o seu sistema pulmonar e respiratório

artigo do parceiro:

Comentários