Fitoterapia

Uma disciplina da medicina natural que utiliza as plantas para fins terapêuticos

Aliviar os sintomas de doenças graves, curar problemas menores e fortalecer o sistema imunológico, conservando o equilíbrio, são os objectivos da fitoterapia.

O primeiro texto sobre plantas medicinais data do ano 3000 a.C. e foi escrito pelos sumérios, um povo oriental. Sabe-se também que no Egipto, Cleópatra utilizava aloe para potenciar a sua beleza e hoje esta planta é usada, por exemplo, para tratar queimaduras solares.

A principal vantagem da fitoterapia é que, embora a sua acção seja profunda, não agride o organismo, pois estimula as defesa através das propriedades curativas de extractos de plantas, flores, árvores e ervas.

Princípios curativos

25% dos medicamentos tradicionais contém substâncias de origem vegetal, já os fitofármacos são medicamentos elaborados a partir dos princípios activos vegetais. Estes princípios são as vitaminas, os minerais, os hidratos de carbono, os micro elementos e agentes curativos específicos que ajudam o corpo na sua luta contra a infecção. Especialmente, as ervas usam-se para aliviar doenças e impedir que esta volte. Também servem para desintoxicar o organismo.

No entanto, a fitoterapia tem limites. Não trata doenças graves, como o cancro, a diabetes e a SIDA, mas pode aliviar os seus sintomas, fortalecer o sistema imunológico e melhorar o bem-estar.

Comentários