Escolher um bom dentista

Como nos podemos assegurar que o médico dentista que nos acompanha é qualificado?

Há três vetores que diferenciam as clínicas dentárias em todo o mundo: a excelência dos médicos, a qualidade dos materiais e dos equipamentos e o tempo de cada tratamento.

A estes acrescem outros mais óbvios: o dentista estar inscrito na Ordem dos Médicos Dentistas, ter as licenças de funcionamento em dia, realizar a esterilização dos materiais de acordo com as normas da UE e respeitar o tempo de desinfeção das salas entre consultas.

Critérios essenciais

Mais do que estar centrado no preço, o mais inteligente é procurar saber quais os materiais que são empregues, a técnica
aplicada e, principalmente, o tempo da consulta. Se não forem respeitadas estas três dimensões de excelência, o barato acaba por sair ainda mais caro. Deve-se procurar o valor e não o preço dos tratamentos.

Qualquer clínica poderá, para baixar custos, contratar médicos com menos experiência, usar materiais e laboratórios baratos e fazer tratamentos a correr mas quase sempre essa estratégia será um fracasso. Existem guidelines para qualquer procedimento dentário e cumpri-las requer tempo e investimento por parte da clínica.

A formação do médico

Como em qualquer profissão, há diferentes formas de trabalhar. Há jovens médicos com mais capacidades do que profissionais mais antigos. O dentista deve ter a licenciatura em medicina dentária e estar inscrito na Ordem dos Médicos Dentistas. A partir daqui, cabe a cada um decidir que formação académica quer acrescentar.

Obviamente que um médico que se qualifique com uma média de 50 por cento terá o mesmo diploma que aquele que obteve 100 por cento. Há pessoas mais científicas e menos práticas, e vice-versa. O que realmente conta é a experiência e o trabalho de equipa.

Trabalho de equipa

Cada vez mais trabalhamos em equipas altamente profissionalizadas. Um dos problemas é não se referir um paciente para outro especialista com medo de o perder. Na verdade, é o paciente quem acaba por perder. Não há que ter vergonha de pedir o curriculum vitae do médico dentista nem de perguntar: Qual o seu percurso profissional? Alguma vez foi alvo de um processo por negligência médica?

Comentários