Electro-hidroterapia

O tratamento que facilita a eliminação de toxinas, ajudando a devolver saúde ao organismo

Já todos ouvimos dizer que mergulhar os pés numa bacia com água e sal é a melhor solução para relaxar depois de um dia cansativo. Mas, e se lhe disserem que esse mesmo acto, com a ajuda de um aparelho de Electro-hidroterapia, pode ajudar a desintoxicar o corpo e a combater algumas patologias?

Um estudo conduzido pela Escola Superior de Saúde do Vale do Ave (em Famalicão), realizado num grupo de diabéticos, verificou, após oito sessões com recurso a um desses aparelhos – o Hidrolinfa – a diminuição do índice de massa corporal e do rácio cintura-anca, observando-se alterações mais acentuadas em indivíduos obesos. De seguida, revelamos-lhe outros efeitos que esta terapia pode ter no organismo.

Uma técnica bioenergética

Chegada a Portugal há quatro anos, esta técnica bioenergética actua no sistema linfático, promovendo a purificação do organismo através de um processo de electrólise eléctrico articulado com a condutividade da água e o cloreto de sódio (sal) como condutor. A electro-hidroterapia «é aplicada em toda a zona plantar dos pés (ou mãos) através de impulsos electromagnéticos que, ao estimularem as células e os centros nervosos, proporcionam a eliminação de toxinas, devolvendo equilíbrio e bem estar ao corpo», explica Kazuo Kon, educador de saúde natural.

Como funciona?

Um aparelho de Electro-hidroterapia (existem vários no mercado como o Hidrolinfa, o Hidrotox ou o Ms detox) acciona uma corrente de baixa amperagem, através de um eléctrodo na água, que é potenciada pela adição do cloreto de sódio (sal). Colocam-se os pés dentro da água e regula-se a temperatura ao gosto do paciente. À medida que o sal se vai diluindo, cria-se um campo electrolítico (de iões positivos e negativos) que activa a microcirculação. «Graças a esta movimentação, o corpo acelera a desintoxicação e, com um sangue limpo e uma boa irrigação, já sem impedimentos nem bloqueios, as células rejuvenescem», afirma Kazuo Kon.

Comentários