Ejaculação prematura

Saiba como lidar com o problema

Atinge um em cada cinco homens e tem um impacto muito grande na sua vida, na das suas companheiras e na relação entre ambos, afectando consideravelmente a satisfação sexual.

Muitos homens evitam recorrer ao médico para tratar a ejaculação prematura (EP), o que faz com que continue a ser uma condição sub-diagnosticada e sub-tratada.

Isto acontece porque os afectados se opõem a discutir a sua sexualidade, por razões sociais e culturais, e porque uma grande parte deles entende a sua condição como um problema passageiro ou uma questão psicológica. Contudo, é preciso ter em conta que a EP não condiciona apenas a vida sexual do homem, mas também a da mulher. Por isso, cabe, muitas vezes, à mulher o papel de sensibilizar o companheiro a procurar ajuda médica.

O que é

A ejaculação prematura, vulgarmente conhecida como ejaculação precoce, é uma disfunção sexual comum, transversal a todas as idades, que pode manifestar-se logo no primeiro acto sexual ou desenvolver-se mais tarde.

Segundo a International Society of Sexual Medicine (ISSM), a EP caracteriza-se por «uma ejaculação que ocorre sempre (ou quase sempre) antes, ou dentro de cerca de um minuto, após penetração vaginal, uma incapacidade em retardar a ejaculação em todas (ou quase todas) as penetrações vaginais e uma situação com consequências pessoais negativas,tais como ansiedade, preocupação, frustração e/ou evitação da intimidade sexual».

Comentários