10 perguntas e respostas sobre o Ébola

A resposta às dúvidas sobre o vírus que está a preocupar o mundo inteiro
créditos: EPA/CHRISTIAN CHARISIUS

O que é?

O Ébola é um vírus que foi pela primeira vez identificado em 1976 e provoca febres hemorrágicas. Não existe vacina, nem tratamentos específicos e a taxa de mortalidade situa-se entre os 25 e os 90 por cento.

Como a pessoa é infetada?

A infeção resulta do contacto direto com líquidos orgânicos de doentes - como sangue, urina, fezes, sémen. A transmissão da doença por via sexual pode ocorrer até sete semanas depois da recuperação clínica. O período de incubação da doença pode durar até três semanas.

Quantos surtos?

Desde 1976 registaram-se vários surtos, nenhum com tantos infetados e países atingidos como o atual, que começou em fevereiro e, até hoje, causou em vários países africanos cerca de 3.000 mortos.

Quais os países afetados?

Até ao momento registaram-se surtos na Guiné-Conacri, Libéria, Serra Leoa e Nigéria.

Quais os sintomas?

A febre costuma ser o principal sinal, acompanhada de fraqueza e dores musculares, de cabeça e de garganta. Outros sintomas nos tempos seguintes são náuseas, diarreia, feridas na pele, problemas hepáticos e hemorragia interna e externa.

Entre a infeção pelo vírus e os primeiros sintomas podem decorrer entre dois e 21 dias.

Como se trata?

Não existe cura nem um tratamento específico para a febre hemorrágica provocada pelo vírus do Ébola.

A estes doentes são dados os tratamentos que costumam ser administrados nos cuidados intensivos, com destaque para a hidratação.

Quais os hospitais de referência?

Em Portugal, os hospitais para onde serão encaminhados os doentes suspeitos de estarem infetados com o vírus do Ébola são os hospitais Curry Cabral (com o Egas Moniz em segunda linha) e Dona Estefânia (para crianças), em Lisboa, e São João, no Porto.

Comentários