Dói-me a barriga!

A dor de barriga na criança pode ter várias causas. Pediatra ensina a identificar cada caso

« “Dói-me a barriga” é uma queixa muito frequente nas crianças entre os dois e os cinco anos», refere o pediatra Mário Cordeiro. «Mas como a dor é algo de subjectivo, é sempre difícil aos pais conseguirem ter uma dimensão real da situação», explica.

Por isso, é importante aprender a identificar outros sintomas ou sinais associados, bem como a conhecer a própria “resistência” da criança à dor, de forma a perceber qual o motivo por trás da dor de barriga.

O que nunca deve fazer é ignorar essa queixa.

De acordo com Mário Cordeiro, «a dor na criança é um problema real e, apesar de muitas vezes ignorada pelos pais, não deve ser subestimada, porque até quando as crianças “inventam” dores estão a sofrer, pelo menos psicologicamente».

Por trás da dor de barriga

«Na maioria dos casos, as dores de barriga não traduzem nenhuma doença grave», explica Mário Cordeiro. Na verdade, algumas dores são fisiológicas, correspondendo a movimentos mais intensos do intestino, que funciona por contracções (movimentos peristálticos) que fazem com que o conteúdo fecal avance de uns segmentos para os outros. «Algumas crianças têm movimentos peristálticos fortes, que têm exclusivamente a ver com a maneira de funcionar do tubo digestivo», explica.

No entanto, «se a dor for forte, violenta, em jejum, se aparece em “ondas” de agravamento e relativa acalmia, com diarreia ou vómitos contínuos, febre alta, sangue nas fezes ou desidratação, quebra do estado geral e progressivo agravamento, há que levar a criança ao médico imediatamente», alerta o pediatra. Neste caso, a dor de barriga pode estar a ser provocada por um problema de saúde que requer tratamento imediato. As causas mais comuns são: apendicite, gastroenterite, infecção por helicobacter pylorie obstipação grave.

Ver artigo completo

Comentários