Eles têm tendência a escondê-lo mas também são vítimas de depressão

Muitos associam-na mais às mulheres mas esta doença mental também afeta os homens. Um estudo associa-a à solidão mas também a fármacos contra a queda de cabelo e o alargamento da próstata.

É uma doença mental associada ao sexo feminino, mas também os homens são vítimas dela. Na prática, muitos casos de depressão masculina não chegam a ser diagnosticados e ficam por tratar. Segundo a Academia Americana de Psiquiatra, embora os homens tenham os mesmos sintomas de depressão que o sexo feminino, frequentemente denunciam o problema de forma diferente e encontram também estratégias distintas de lidar com ele.

A depressão masculina tende a centrar-se mais em sintomas como cansaço, irritabilidade, perturbações do sono e falta de interesse no trabalho ou tempos livres, do que na tristeza, culpa ou baixa autoestima. «[É uma patologia que] atinge novos, velhos, homens e mulheres», afirma Deidre Ashley, diretora executiva do Jackson Hole Community Counseling Center, um centro de aconselhamento em Wyoming, nos EUA.

Um em cada cinco homens em risco

Ninguém escapa. «É uma doença que não discrimina ninguém», assegura a especialista. Cerca de 11,5% dos adolescentes sofre de depressão em determinado período da adolescência. Desses, cerca de metade são homens. Na idade adulta, a proporção sobe para um em cada cinco. «O problema acaba por ser maior na população masculina porque eles, ao contrário das mulheres, sofrem em silêncio», defende John Torres, médico.

«Não dizem a ninguém que se sentem sozinhos, por exemplo», disse em entrevista ao site 9News. Um estudo canadiano, divulgado em março de 2017, associa os estados depressivos à solidão e ao isolamento que muitos sentem mas também a uma série de outros fatores, como alguns fármacos contra a queda de cabelo e o alargamento da próstata, o crescimento da glândula da próstata, uma consequência comum de envelhecimento nos homens.

Tranquilizante para cavalos usado para tratar a depressão

São muitos os que os tomam. «Não havia muitos estudos que fossem bons nesta área e são muitos os urologistas que prescrevem esse tipo de medicamentos», sublinha Blayne Welk, investigador da Western University e do Institute for Clinical Evaluative Sciences em Ontário, coordenador da pesquisa que avaliou 186.394 homens com mais de 66 anos. A divulgação deste estudo coincide com a de um outro da Universidade de Oxford.

Nos últimos meses, especialistas deste estabelecimento de ensino usaram cetamina, uma droga ilegal internacionalmente conhecida como ketamine que também é usada como tranquilizante para cavalos, para tratar casos de homens e mulheres com depressão que já não reagem aos métodos de tratamento mais convencionais. 42% dos 101 voluntários submetidos à experiência reagiram positivamente à terapêutica.

Texto: Luis Batista Gonçalves 

artigo do parceiro:

Comentários