Crómio para que te quero

Não é o elixir da magreza, mas ajuda a estabilizar os níveis de açúcar no sangue.

O crómio é um mineral essencial ao organismo, que tem a capacidade de manter estáveis os níveis de açúcar na corrente sanguínea. Actua sobre os receptores de insulina, potenciando o seu efeito, e estimula a captação de glicose e aminoácidos pelas células.

Está presente em alguns alimentos, como levedura de cerveja, ostras, cereais integrais, carne, frutos secos, vegetais (cogumelos e espinafre) e frutas (banana e maça).

O défice deste mineral deve-se ao aumento do consumo de alimentos refinados e muito processados, ricos em gordura, ao exercício físico intenso (que pode aumentar a excreção urinária deste mineral) e ainda à deficiência de crómio nos solos onde são cultivados os alimentos.

A suplementação com crómio deve ser feita:

  • sempre que se verifique a deficiência, aferida através de análises ao sangue
  • nos doentes com resistência à insulina
  • nas pessoas com problemas a nível intestinal que possam condicionar a absorção do mineral
  • nos atletas com exercício físico intens
  • nos idosos (com baixa ingestão alimentar)
  • por quem sinta muita convulsão por alimentos doces

A dosagem diária recomendada varia entre 40 a 400mg, dependendo do doente. Esta é geralmente a dosagem presente nos suplementos multivitamínicos.

No caso dos diabéticos com tratamento médico (insulina ou antidiabéticos orais), antes de usar suplementação devem consultar o médico para assim ajustar a terapêutica

Em doses superiores às recomendadas, o crómio pode ter alguns efeitos secundários, como irritação na pele, tonturas, náuseas e perda da função cognitiva.

Texto da farmacêutica Heliana Rodrigues

Saiba mais em www.revistasauda.pt

artigo do parceiro:

Comentários