Crianças e lentes de contacto: a partir de quando?

O uso de lentes de contacto para a correção visual em pré-adolescentes pode contribuir para melhorar a sua auto-estima e a capacidade para assumir responsabilidades. Segundo a Sociedade Portuguesa de Oftalmologia, uma em cada cinco crianças em idade escolar necessita de correção visual e este número tem vindo a aumentar.
créditos: CC

Aproximadamente uma em cada cinco crianças com idades compreendidas entre os 5 e os 15 anos necessitam de algum tipo de correção visual, e este número tem vindo a crescer tanto em Portugal como no resto do mundo. O excesso de exposição em tarefas de visão próxima, o grande número de horas em frente a aparelhos tecnológicos e a exposição intensa a luzes artificiais são alguns dos vários fatores que podem ter contribuído para esta tendência.

Nos problemas visuais infantis mais recorrentes, poderão ser encontradas a miopia, o astigmatismo e a hipermetropia, sendo que a maioria das crianças com défice de visão manifesta problemas refrativos, ou seja, suscetíveis de serem corrigidos com o uso de lentes de contacto ou óculos.

Apesar de ainda existir, entre os pais portugueses, uma grande resistência ao uso de lentes de contacto em crianças pré-adolescentes, a verdade é que vários estudos indicam que o uso de lentes de contacto em idades infantis traz todos os benefícios que o uso de lentes de contacto garante nos adultos e, para além disso, contribui para melhorar o seu sentido de responsabilidade e a sua auto-estima.

Falta de consenso entre especialistas

Apesar de as crianças terem capacidade para utilizar lentes de contacto com autonomia a partir dos 8 anos de idade, não existe, entre os especialistas, um consenso sobre uma idade mínima para usar lentes de contacto.

Estes concordam que as crianças que demonstrem o desejo de usar lentes de contacto podem usá-las a partir do momento em que também revelem um certo nível de responsabilidade e maturidade, assim como hábitos de higiene pessoal independente.

Comentários