Consolda

Uma planta com efeito analgésico que pode ser útil em casos de feridas e fraturas

A consolda contém alantoína, taninos e mucilagens com ação regenerativa, cicatrizante,vsuavizante da pele e analgésica. Além disso contém ácido rosmarínico com ação anti-inflamatória.

De acordo com uma investigação publicada na Phytotherapy em 2008, esta planta foi considerada segura em 306 crianças, entre os três e os 12 anos, em contusões, distensões e outras indicações, aplicada duas a quatro vezes ao dia.

Foi eficaz na redução da dor em repouso (62,6 por cento), restrição do movimento (62 por cento) e sensibilidade à dor (61,4 por cento). Um estudo realizado na Alemanha em 2007, em 120 paciente com dor lombar aguda, confirmou que a aplicação de uma pomada de consolda (4 g, três vezes por dia) provocou uma redução de 92,5 por cento da dor ao fim de cinco dias, e de apenas 37,8 por cento no grupo placebo.

Ao fim de uma hora de aplicação, a dor estava mais reduzida no grupo da consolda (33 por cento) do que no grupo placebo (12 por cento). No eritema causado pelos raios UVB, teve em 29 pacientes o mesmo efeito anti-inflamatório do diclofenac, segundo a Wiener Medizinische Wochenschrift de 2013.

Principais indicações

- Dores nos músculos e articulações
- Feridas e fraturas ósseas
- Osteoartrose e osteoartrite
- Tendinites e inflamações no geral
- Epicondilites, gonartrose
- Picadas de insetos
- Mastite

Administração

Aplicação externa de 4 g de pomada até três vezes por dia na zona afetada. Atenção, esta planta não deve ser ingerida nem usada por grávidas, lactentes ou crianças com menos de três anos.

Remédio caseiro

Esmague ou pique algumas folhas de consolda e deixe a macerar em óleo de linhaça durante 20 dias. Aplique nas zonas afetadas. Também pode esmagar num almofariz e adicionar algumas gotas de álcool etílico e de cravinho-da-índia até formar uma pasta. Espere no mínimo 15 minutos e aplique, fazendo uma cataplasma na zona afetada.


Revisão científica: João Beles (naturopata e professor no Instituto de Medicina Tradicional de Lisboa)

artigo do parceiro:

Comentários