Como prevenir a litíase renal?

A litíase renal, vulgarmente conhecida por “pedras nos rins”, é uma doença que se deve à formação de cálculos, no aparelho urinário. Estes cálculos formam-se devido a uma alteração bioquímica crónica do organismo que leva à formação de cristais e à sua aglomeração.

Os rins estão situados nos flancos ligeiramente abaixo da 11.ª costela e tem como função a filtração e eliminação de metabolítos do nosso corpo.

A litíase renal, vulgarmente conhecida por  “pedras nos rins”, é uma doença que se deve à formação de cálculos, no aparelho urinário. Estes cálculos formam-se devido a uma alteração bioquímica crónica do organismo que leva à formação de cristais e à sua aglomeração.

O cálculo renal pode permanecer silenciosamente no rim até ser descoberto incidentalmente. Por vezes este cálculo pode obstruir a passagem de urina e provocar dor.

Esta dor, que pode variar entre um ligeiro desconforto no flanco até uma dor violenta com irradiação para a virilha caracteriza-se por um aumento progressivo de intensidade associada a naúseas e vómitos e por vezes acompanhada do aumento da frequencia uriária e sangue na urina.

O diagnóstico é feito pela historia clínica e observação do doente, mas apenas com exames de imagem poderemos confirmar o diagnóstico e determinar a localização da obstrução e a sua dimensão. Um Rx simples e uma ecografia do aparelho urinário são exames de primeira linha podendo no entanto ser necessário uma TAC para melhor esclarecimento.

O tratamento da litíase renal é efectuado em três fases. Inicialmente é necessário o tratamento urgente para alívio da dor (a cólica renal). Nesta fase é iniciada a terapeutica analgésica e se não houverem complicações associadas esta terapeutica deverá ser mantida durante alguns dias associada à terapêutica médica expulsiva.

Posteriormente é efectuado o tratamento cirúrgico da litíase propriamente dita, com a fragmentação ou remoção do cálculo. Actualmente este tratamento pode ser não invasico, Litotricia Extracorporal por Ondas de Choque (LEOC) ou minimamente invasivo como o é o caso da cirurgia endocópica e percutânea. O tratamento cirúrgico da litíase por via aberta está reservado para situações muito pontoais e praticamente não é utilizado.

Comentários