Coentros

Digestivos e calmantes, combatem a fadiga e as enxaquecas. E também são afrodisíacos!

Muito utilizado na gastronomia típica de várias regiões de portugal, sobretudo no Alentejo, na famosa açorda e na sopa de cação, o coentro (Coriandrum Sativum) é uma planta anual da família das umbelíferas, muito aromática, de folhas superiores finamente recortadas e flores pequenas de cor branca ou rosa.

As suas sementes muito redondas de cor beige são muito apreciadas na culinária, conferindo-lhe um sabor aromático e distinto.

Embora de origem incerta, sabe-se que os antigos egípcios já a utilizavam para embalsamar os corpos. É provavelmente originária da bacia do Mediterrâneo onde os gregos e os romanos a incluíam na confeção de pratos e bebidas. Na Idade Média, era cultivada nos jardins dos mosteiros. Esta planta é também conhecida por salsa árabe ou chinesa e é hoje cultivada um pouco por todo o mundo.

Em inglês, é conhecida por coriander e em espanhol por cilantro. É muito utilizada na cozinha indiana e árabe, tanto as sementes como as folhas. Entre nós, é mais comum utilizarem-se as folhas na confecção de vários pratos e as sementes no fabrico de confetis e outros doces.

Propriedades

Os coentros são digestivos, anti-séticos e calmantes. Na Índia, são considerados afrodisíacos, uma vez que servem para aumentar as glândulas mamárias. Esta está, no entanto, longe de ser a sua única vantagem. O coentro tem quatro vezes mais caroteno e três vezes mais cálcio do que a salsa.

Tem ainda proteínas, sais minerais, vitamina B e niacina. As folhas são muito ricas em ferro e vitamina C. Tanto os coentros como a salsa ajudam a neutralizar o hálito do alho. A tisana das folhas combate ainda a fadiga e alguns tipos de enxaquecas.

As suas sementes são um excelente digestivo quando mastigadas depois da refeição. Esta planta alivia ainda as dores de estômago em caso de digestões difíceis, vómitos e flatulência, estimulando o apetite e ajudando a secreção gástricos e intestinais.

Na medicina chinesa, inalam-se os vapores dos ramos dos coentros e massaja-se o corpo com chá para acalmar a comichão e eliminar as borbulhas do sarampo. Na antiguidade, estes eram mais utilizados pelas suas propriedades medicinais, mas hoje em dia é mais comum serem usados na culinária.

Na culinária

Sempre que as usar na confeção de receitas, as sementes dos coentros devem ser adicionadas no princípio da cozedura. A incorporação de coentros nos pratos com leguminosas favorece reabsorção dos gases intestinais. Os coentros podem ainda ser utilizados para aromatizar a cerveja.

As sementes servem para aromatizar o gin e fabricar licores digestivos. Também costuma ser usado para aromatizar vinagre e vários tipos de conservas como puré de tomate, pêras ou maçãs, salsichas ou patés. Na Índia, é um ingrediente essencial do caril em pó.

Tantos as folhas como as sementes salientam o sabor da choucroute, beterraba, cornichons, cogumelos, alcachofras e salada várias, especialmente de batata. Um ou dois grãos de coentros esmagados numa chávena de café concedem-lhe um excelente sabor.

No jardim

Embora possam ser cultivada como erva aromática, convém separá-los das plantas de jardim, pois o forte aroma da folha e sementes frescas pode ser prejudicial para algumas plantas. Sabe-se, no entanto, que afasta os afídeos, aos quais é imune.

Quando associada ao funcho, impede a formação das suas sementes, enquanto que ajuda a germinar as do anis. As suas lindas e delicadas flores fazem lindos canteiros e atraem abelhas. O aroma das suas sementes vai-se tornando mais intenso e agradável à medida que estas vão amadurecendo.

Texto: Fernanda Botelho

artigo do parceiro:

Comentários