Cancro da vulva e da vagina

Os sintomas a que deve estar atenta

São, segundo a Sociedade Portuguesa de Ginecologia, situações raras, podendo surgir associados entre si ou ao cancro do colo do útero. São curáveis quando diagnosticados numa fase inicial.

Uma vez por ano, vá ao ginecologista. É uma das principais regras para
proteger o seu aaprelho reprodutivo de doenças como o cancro.

A consulta de ginecologia deve realizar-se 10 a 20 dias após o primeiro dia do período menstrual.

Sintomas do cancro da vulva

- Comichão, ardor ou sangramento permanente da vulva
- Alterações na cor da pele da vulva, seja mais vermelho ou esbranquiçado que o normal
- Alterações na pele da vulva, incluindo aparentes erupções ou verrugas
- Feridas, caroços ou úlceras que não desaparecem
- Dor na zona pélvica, sobretudo ao urinar ou durante as relações sexuais

Sintomas do cancro da vagina

Por norma, não existem nas fases iniciais, mas quando ocorrem podem incluir:

- Fluxo ou hemorragia vaginal muito volumosa, após a menopausa ou entre duas menstruações, ou que dura demasiado tempo
- Sangue nas fezes ou urina
- Obstipação e ir à casa de banho mais do que o habitual
- Dor na zona pélvica, sobretudo ao urinar ou durante as relações sexuais

Fatores de risco

Embora seja mais frequente entre os 65 a 70 anos, tem havido um aumento do número de casos de cancro da vulva em mulheres com menos de 40 anos. Esteja especialmente alerta se teve cancro do colo do útero ou lhe foram detetadas células cervicais pré-cancerígenas. Terá, ainda, um risco acrescido de cancro da vulva ou vagina se tiver qualquer um dos fatores de risco para o cancro do colo do útero. Tenha atenção se sofre de inflamação, comichão ou ardor crónicos na vulva.


Texto: Rita Miguel com Vítor Veloso, oncologista e cirurgião


artigo do parceiro:

Comentários