Beba água

Porque sem água não há vida!

A água é, sem dúvida, o componente mais abundante do corpo humano. Uma pessoa adulta é constituída por 60% de água, enquanto que um bebé é constituído por 75%.

Por isso é tão importante e fundamental para o equlibrio do corpo não haver privação de água. A questão que se coloca é que quantidade de água é necessária diariamente. Em média perdemos 2,4 litros de água por dia, a qual temos que repor.

Conseguimos repor parte desta quantidade através dos alimentos que ingerimos. Por conseguinte, tudo depende do tipo de alimentação que se faça. Uma dieta muito rica em frutas e legumes poderá levar a um aporte diário até 5 litros de água.

Mas esta quantidade pode ficar reduzida a 0,5 litros, se não se consumir nem fruta nem legumes. Assim, se a alimentação é constituída maioritariamente por alimentos pobres em água, deve-se beber cerca de 2 litros de água por dia.

Mas se a alimentação for muito rica em produtos vegetais, que aportam uma grande quantidade de água, não é necessário ingerir mais de 1 litro de água como bebida. Fazendo uma média, devemos beber 1,5 litro por dia. Esta ingestão pode ser não só na forma de água, mas também de chá, sumos e leite.

No entanto, o ideal é beber água pura, com o mínimo de açúcar possível e sem álcool. Outro factor que influencia a quantidade e água ingerida é a prática de exercício físico, onde, obviamente, terá de ingerir uma maior quantidade.

Outra questão a ser colocada é a qualidade da água. A água que bebemos pode ser da torneira ou engarrafada. A primeira nem sempre é aconselhada e vai depender do concelho onde se vive, uma vez que o tratamento das águas não cobre a totalidade do país.

Em termos de contaminação, é generalizadamente boa, mas do ponto de vista químico é variável, sendo a melhor a dos grandes centros. Quanto às águas engarrafadas, têm características diferentes conforme o tipo e a marca.

A gasosa é de fonte naturalmente gasosa, mas pode-se adicionar-lhe mais gás. A mineral é caracterizada por conter magnésio, sulfato, cálcio, bicarbonato e sódio.

A quantidade de cada mineral depende da marca consumida. Estas águas têm efeito laxante e facilitam a digestão. Mas deve ser evitada pelas pessoas com hipertensão e pelos bebés até 1 ano.

A água de mesa é pouco mineralizada e deve ser bacteriologicamente pura. A característica de cada água deve estar apresentada no rótulo e, nós, como consumidores, temos o dever de nos interessar e informar sobre a melhor forma de nos hidratar.

Texto: Dra. Sara Romeiro Nutricionista, LiveWell
Fotografia: Helena Rubinstein

artigo do parceiro:

Comentários