Bastam pequenas mudanças para uma saúde melhor

Maria Inês Martins explica os hábitos que alterou para se sentir mais sã

Desde pequena, nunca fui muito preocupada com a alimentação, pois sempre comi de tudo sem engordar e nem precisava de fazer muito exercício físico. Toda a gente me dizia «és tão magrinha» e eu comia muito bem.

Quando a minha mãe começou a ler a Prevenir, comecei a ler também e agora leio sempre primeiro que ela!

Comecei a interessar-me por certos temas e a verificar que, apesar de não ter tendência para engordar, isso não significa que não deva ter certos cuidados. Até porque o meu corpo tem o formato maçã (acumula mais gordura na zona da barriga) e isso poderia vir a trazer-me alguns problemas de saúde no futuro.

Isso influenciou a minha escolha ao ir para a universidade e entrei para o curso de Nutrição, o que me fez também mudar de hábitos alimentares e aconselhar toda a gente cá em casa (os meus pais e as minhas duas irmãs).

Não sou muito de ginásios, mas comecei a correr várias vezes por semana, a fazer abdominais em casa e inscrevi-me na natação em regime livre. Entretanto, convenci umas colegas de turma a vir comigo fazer desporto e houve uma altura em que tive até aulas de dança oriental, com duas amigas. Já consegui que a minha mãe se inscrevesse nas danças de salão e as minhas irmãs em Pilates.

Fazer exercício pode ser divertido se quisermos! Não é preciso um esforço assim tão grande para nos mantermos saudáveis. Aliar o exercício a um bom pequeno-almoço e fazer várias refeições ao dia, sem nunca exagerar nas quantidades, consumir mais legumes, menos açúcar e sal. E são estes os truques para me sentir bem e influenciar os outros a ter hábitos mais saudáveis.


Este testemunho é um dos relatos concorrentes ao Passatempo O leitor mais saudável do ano. Para saber quem ganhou, clique aqui.

artigo do parceiro:

Comentários