As cirurgias obrigam à suspensão da medicação?

A farmacêutica Maria Augusta Soares responde a esta questão

Alguns fármacos podem ser tomados sem restrição até à data de uma cirurgia, outros obrigam à suspensão da toma para evitar
acidentes, que podem ser graves.

O período entre a interrupção e a cirurgia varia consoante o tipo de medicação e procedimento cirúrgico a que o paciente será submetido. Por exemplo, deve ser de sete dias para o ácido acetilsalicílico e de seis a 24 horas para a heparina, ambos medicamentos que afetam a coagulação sanguínea, podendo provocar complicações hemorrágicas.

Alguns antidepressivos devem ser suspensos três a 15 dias antes, os antidiabéticos devem ser parados 24 horas antes, os antihipertensores inibidores da enzima conversora (como captopril e enalapril) devem ser suspensos no dia da cirurgia.

Deve levar ao médico a lista completa do que está a tomar, incluindo suplementos alimentares como as cápsulas de alho, o ginseng, a erva-de-são-joão, o ginkgo biloba, entre outros. Ele indicar-lhe-á como proceder para cada um e deve seguir essas recomendações.


Revisão científica: Maria Augusta Soares (farmacêutica e professora na Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa)

artigo do parceiro:

Comentários