Artrite idiopática juvenil

A doença reumática mais frequente na infância e juventude

Por definição, a artrite é a «inflamação de uma articulação». As causas «são muito variadas, podendo ser agudas ou crónicas (quando superiores a seis semanas) mas a maioria dos numerosos reumatismos pediátricos cursa com artrite crónica», explica Manuel Salgado, reumatologista pediátrico.

A artrite idiopática (sem causa conhecida) é a mais comum nas crianças e jovens e divide-se em sete subtipos.

Para classificar e tratá-los adequadamente, «o mais importante é se têm ou não febre associada e o número de articulações que atingem». O subtipo mais comum é a artrite idiopática juvenil oligoarticular (envolve até quatro articulações nos primeiros seis meses da doença), que representa quase 50% da totalidade dos doentes com esta patologia.

«Segue-se a artrite idiopática poliarticular (envolve cinco ou mais articulações) com factor reumatóide negativo», acrescenta o especialista. Ainda não se sabe com rigor o que provoca os reumatismos em qualquer idade. Logo, «para a generalidade das artrites crónicas não se encontra uma causa», defende Manuel Salgado.

Quem afecta?

No global, as meninas são afectadas por esta patologia «quase duas vezes mais do que os rapazes, surgindo em qualquer idade, em ambos os sexos». Segundo Manuel Salgado, «cerca de 40% dos casos de artrite idiopática juvenil iniciam-se antes dos cinco anos de idade e 15% antes dos 24 meses de vida, sendo excepcional manifestarem-se no primeiro ano de vida».

O facto de existirem poucos médicos com experiência em Reumatologia Pediátrica em Portugal faz com que, por vezes, existam falsos diagnósticos ou diagnósticos tardios destas doenças.

Comentários