Alergias afetam um terço da população portuguesa

A OMS estima que, em 2035, metade da população mundial sofra daquela que já é a sexta doença mais frequente. Descubra quais os principais sintomas e as manifestações mais comuns

O panorama é preocupante. A Organização Mundial de Saúde (OMS) calcula que daqui a 20 anos, lá mais para 2035, metade da população mundial sofra de qualquer tipo de alergia. Neste momento, já é a sexta doença mais frequente no mundo e estima-se que afete pelo menos 12% da população. Em Portugal, estima-se que as alergias afetem um terço da população, segundo a Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica.

Apesar disso, são muitos os casos que ficam por diagnosticar, seja porque não damos importância aos sintomas ou porque os confundimos com uma vulgar constipação. É importante aprender a distinguir sintomas para não deixar agravar quadros que seriam facilmente controláveis com tratamento atempado. O risco é o de se transformarem em doenças crónicas.

Como saber se está com alergia?

Alergia é uma reação do organismo ao contacto com uma substância interpretada pore le como perigosa, desenvolvendo assim anticorpos especiais para se defender. Desencadeia-se então um processo inflamatório que se pode manifestar de formas variadas em qualquer parte do corpo. Se a exposição for muito intensa ou prolongada (mais de seis semanas), a alergia pode então tornar-se crónica e persistente.

Quais as alergias mais comuns?

- Asma

Estima-se que 10% da população portuguesa sofra deste mal, sendo por isso considerado como a alergia de referência. As crises recorrentes de falta de ar e tosse repentina são alguns dos sintomas deste tipo de reação alégica.

- Rinite

É a doença alérgica mais frequente e a menos diagnosticada. Quando negligenciada pode evoluir para a asma. A obstrução e corrimento nasal, comichão, espirros e pingos no nariz de forma persistente são os sintomas mais comuns.

- Sinusite

Apesar de as causas diretas da sinusite serem virus e bactérias, as alergias são um fator agravante e está normalmente presente em quem já tem rinite alérgica. O peso na cabeça e nos olhos e dor em certas zonas da fase, principalmente na testa são alguns dos sintomas, assim como a inflamação da mucosa do nariz e dos seios perinasais.

- Conjuntivite

É  a forma mais frequente de alergia ocular. Nem todas as conjuntivites são alérgicas, algumas tabém podem ter origem infecciosa. Inchaço, vermelhidão, lacrimejo e comichão nos olhos são os sintomas mais comuns. Há alturas do ano muito mais propícias às alergias.

A primavera é a pior altura para quem sofre deste mal, mas também o verão se está a tornar uma época complicada. Tudo isto devido a algumas plantas que se polinizam com a ajuda do ventos nestas alturas do ano. As plantas que causam mais alergia são o dente-de-leão, as gramíneas, a erva parietária, a bétula e a oliveira.

Quais os sintomas a que deve estar atento para saber que deve consultar um alergologista?

- Espirrar muitas vezes e de seguida é um dos sinais a ter em atenção.

- Ter comichão no céu da boca, no nariz e na garganta.

- Ter muita tosse e irritativa.

- Respirar pela boca e não ter cheiro ou paladar frequentemente.

- Tender a ter infeções nasais e de ouvidos.

- Os sintomas da constipação não desaparecerem ao fim de 10 dias.

- Os sintomas surgirem sempre no mesmo local ou na mesma época do ano e agravam-se na presença de pó, fumo e perfumes ou produtos com um cheiro mais intenso.

artigo do parceiro:

Comentários