Afeto trava Alzheimer

Cuidados conjugais retardam avanço da doença

De acordo com os resultados de um estudo realizado por investigadores da
Utah State University nos EUA, publicado no Journal of
Gerontology e divulgado pela Reuters Health Information, os idosos com doença de Alzheimer que têm como cuidadores os seus cônjuges têm menor probabilidade de agravarem o seu quadro clínico.

Apurou-se que os idosos que sofrem desta doença neurodegenerativa e que são tratados pelo seu cônjuge revelam uma menor deterioriação cognitiva e física.

Os investigadores constataram que os benefícios protetores deste tipo de cuidados aumentam com a proximidade do relacionamento conjugal, pois reflete um maior investimento socio-cognitivo e emocional do cônjuge cuidador na qualidade de vida do doente de Alzheimer, contribuindo para que este se sinta bem. Os resultados do estudo baseiam-se numa investigação que envolveu cinco mil doentes.

Para ler a entrevista a uma das maiores especialistas nacionais em doença de Alzheimer, clique aqui.

artigo do parceiro:

Comentários