A terapia do sol

A exposição solar, na dose certa, pode ser saudável e um ótimo antidepressivo natural

Não é por acaso que a depressão sazonal [tipo de depressão que ocorre sempre na mesma época do ano] é mais frequente no inverno e nos países onde a quantidade de luz solar é menor.

O sol não é só fonte de luz e calor, mas também de energia e felicidade. Está provado que estimula a produção de serotonina, potenciando a sensação de bem-estar e que desempenha um papel importante na regulação do sono.

O astro-rei é ainda a principal fonte de vitamina D, essencial para o desenvolvimento dos ossos e dos dentes e, de acordo com estudos mais recentes, ajuda a um bom funcionamento cerebral, reduzindo o risco de demência e derrame cerebral.

7 benefícios do sol para a saúde e bem-estar:

1. É um bom antídoto contra a depressão e o stress. O sol atua no sistema nervoso, estimulando as terminações nervosas que se encontram na pele e que, segundo alguns estudos, promovem o bom humor e a sensação de bem-estar.

2. Promove a síntese de vitamina D na pele que favorece a fixação de cálcio nos ossos e dentes. Ajuda também, por isso, a prevenir a osteoporose.

3. Aumenta a quantidade de glóbulos brancos no sangue (os protagonistas do sistema imunitário) e de glóbulos vermelhos, responsáveis pelo transporte do oxigénio.

4. Ativa a circulação sanguínea e estimula o sistema endócrino, favorecendo os processos metabólicos.

5. Associado à água do mar, melhora os quadros de acne e a psoríase.

6. Favorece a atividade intelectual. Um estudo publicado pelo American Journal of Geriatric Psychiatry concluiu que a carência de vitamina D pode mesmo comprometer o desempenho cognitivo, em adultos mais velhos.

7. Outros estudos já provaram que o aporte correto de vitamina D pode também reduzir, de modo significativo, o risco de desenvolver a síndrome pré-menstrual.

4 cuidados essenciais que não deve descurar

O sol em excesso é nocivo para a saúde. Tenha sempre estes cuidados preventivos em mente sempre que tiver que se expor à radiação solar:

1. Agende as atividades ao ar livre fora do horário com maior índice ultravioleta
(entre as 11h e as 16h).

2. Use sempre protetor solar, mesmo nos dias nublados, e reaplique-o a cada duas horas. A Academia Americana de Dermatologia recomenda um FPS superior a 30.

3. Prefira chapéus com abas largas que oferecem maior proteção.

4. Não se esqueça dos óculos de sol. Escolha os que bloqueiem 99 ou 100 por cento de toda a luz UV. Para serem ainda mais eficazes, opte por um modelo que encaixe bem perto do rosto.

Texto: Sofia Cardoso com Fernando Póvoas (médico de clínica geral)

artigo do parceiro:

Comentários