Será que cheiro mal? 8 coisas que não sabe sobre o odor corporal

O odor corporal vai além da simples falta de cuidados com higiene. Fique a saber 8 coisas sobre o mau cheiro do corpo segundo o médico João Lima Gabriel, especialista em medicina estética.
  1. Possuímos dois tipos de glândulas de suor: as glândulas écrinas e as apócrinas. As glândulas écrinas estão localizadas por todo o nosso corpo e produzem o “suor aguado” que controla a temperatura corporal. As glândulas apócrinas produzem um suor mais oleoso, composto por lípidos e proteínas e estão localizadas junto aos folículos capilares e concentram-se no couro cabeludo, axilas e virilhas.
  2. Os pelos podem realçar o odor: Na realidade, não é especificamente o suor produzido pelas glândulas apócrinas que geram odor, mas sim as bactérias que são atraídas por este tipo de suor em particular. Quanto mais pelos tiver, mais superfícies as bactérias encontram para fixar-se e alimentar-se, potenciando o mau odor.
  3. Os antitranspirantes são aliados poderosos, mas perigosos: os antitranspirantes impedem que o suor chegue até a superfície da pele, enquanto os desodorizantes normais conseguem disfarçam o cheiro. No entanto, já são largamente conhecidos os perigos dos antitranspirantes que, por conterem alumínio na sua composição, podem provocar patologias graves, como o cancro.
  4. Os tratamentos médicos existentes são uma alternativa simples e eficaz: existem opções de tratamento não invasivas para o tratamento da hiperidrose e transpiração excessiva. Um dos mais recentes, por exemplo, consiste na produção de energia eletromagnética (semelhante à produzida por um micro-ondas) e que provoca a dissolução e absorção das glândulas sudoríparas desta zona do corpo. O processo consiste no aquecimento da camada existente entre a pele e a gordura, onde estão localizadas as glândulas do suor, até as dissolver, vaporizar e eliminar sem afetar a pele, gordura e músculos. Para a transpiração excessiva ocorrer nas palmas das mãos ou pés, existe um outro tratamento que consiste em aplicar uma corrente elétrica de baixa intensidade e que induz a inação das glândulas destes locais.
  5. A alimentação pode afetar o seu odor: sabia que o álcool, os doces, as gorduras, os lácteos e alimentos como o alho, cebola, caril e a carne vermelha são instigadores de odores corporais indesejáveis?
  6. Limpeza a mais pode piorar a situação: algumas pessoas tentam utilizar álcool nos principais pontos de odor corporal, fazendo com que a pele fique seca, o que obriga o organismo a produzir ainda mais suor.
  7. Stress causa ainda mais suor: Quanto maior o stress a que estamos sujeitos maiores são as quantidades de suor que produziremos.
  8. A transpiração e o odor corporal que exalamos estão associados a várias causas: Mas podem ser controlados e tratados. Para algumas pessoas, o tratamento do odor corporal ou do suor em excesso pode efetivamente ser a melhor solução, pois oferece resultados imediatos e duradouros, que mudam radicalmente a vida de quem sofre de transpiração excessiva e mau odor.
Os esclarecimentos são do médico João Lima Gabriel, especialista em medicina estética na Clínica Liberty.

Veja ainda12 alimentos que o podem deixar doente (mesmo sem bolor ou mau cheiro)

Saiba maisAlimentos que provocam flatulência

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários