5 erros que a impedem de ter um hálito fresco

O que (não) deve fazer para combater a halitose

A halitose, um problema embaraçoso marcado pelo odor desagradável que exala da cavidade oral, pode ser um dos maiores inimigos da sua imagem e não é apenas uma higiene oral incorreta que está na sua origem.

Com o auxílio da médica dentista Alexandra Rodrigues, conheça as outras causas e aprenda a combate-las, adotando estratégias que a vão deixar com um hálito mais fresco e agradável.

1. Comer alimentos ricos em gordura e condimentos

Certos alimentos como o alho e a cebola provocam mau hálito quando ingeridos, devido ao seu alto teor de substâncias odoríferas que, durante a mastigação, são absorvidas e provocam halitose quando eliminadas pela respiração. Mas não são os únicos. Alimentos como o queijo (amarelado), fritos, alimentos gordurosos, ovos, condimentos, chocolate, salame, presunto, mortadela e couve libertam compostos que, quando não são completamente metabolizados, são eliminados por via pulmonar.

Essa situação leva ao aparecimento de halitose. Para a combater, recorra a pastas dentárias, elixires antimicrobianos e sprays podem reduzir a halitose, através da neutralização química de compostos que libertam odor. Ao fim de pouco tempo, notará a diferença.

2. Beber pouca água ao longo do dia

Substituir a água por outras bebidas ou bebê-la em doses diárias insuficientes diminui o fluxo salivar e aumenta a viscosidade da saliva. Evite alimentos de odor carregado, coma de três em três horas e beba mais de um litro de água por dia.

3. Não tomar o pequeno-almoço

O jejum prolongado favorece a formação de corpos cetónicos que são eliminados através da via oral, podendo desencadear a halitose. Tome sempre o pequeno-almoço logo pela manhã e evite ficar muitas horas sem comer.

4. Ignorar cáries dentárias ou restaurações mal adaptadas

As cáries dentárias ou restaurações mal adaptadas promovem a acumulação de restos alimentares e bactérias. Consulte o seu médico dentista, este é o responsável primário pelo diagnóstico e tratamento da halitose. Nestes casos, a solução passa pelo tratamento restaurador para tratar dentes cariados e/ou estragados.

5. Fumar e/ou ingerir álcool

Os fumadores têm mau hálito devido ao odor do tabaco utilizado e, além disso, o fumo agride a mucosa oral, favorecendo a sua descamação e reduzindo o fluxo salivar, propiciando a formação do biofilme lingual (restos alimentares e bactérias na superfície da língua). Já as bebidas alcoólicas em excesso levam à desidratação da mucosa oral, aumentando a descamação e provocando a alteração da microflora intestinal, com fermentação odorífera que pode causar halitose.

A higiene oral perfeita:

- Escove os dentes, no mínimo, duas vezes por dia.

- Não ignore o uso do fio dentário, do raspador lingual (à venda nas farmácias) e do escovilhão, se tiver espaços interdentários onde a escova não consegue chegar e o uso do fio dentário não for suficiente.

- Bocheche com um elixir pelo menos um vez por dia. É essencial porque o líquido consegue entrar pelos espaços interdentários, higienizando onde a escova, o escovilhão ou o fio dentário não conseguem chegar.

Texto: Sofia Cardoso com Alexandra Rodrigues (médica dentista)

artigo do parceiro:

Comentários