4 sinais que alertam para problemas de prisão de ventre na mulher

Pode ocorrer de forma ocasional ou persistente e, em todo o mundo, atinge uma em cada quatro pessoas. No caso da população feminina, a propensão é maior. Saiba porquê.

Estimativas internacionais apontam para que, em todo o mundo, cerca de 80% das mulheres sofram de problemas de prisão de ventre de forma regular. Além do desconforto provocado pelas dores abdominais e por uma sensação de inchaço e de enfartamento, esta situação pode mesmo dar origem a problemas de saúde mais graves, sobretudo se não conseguir ir à casa de banho mais de três vezes por semana e/ou não conseguir eliminar uma quantidade de fezes considerada normal.

É provável que sofra de prisão de ventre se registar estes quatro sintomas que alertam para problemas de prisão de ventre na mulher:

- Evacua apenas de três em três dias (ou mais)
- Tem de fazer esforço para conseguir evacuar
- As fezes são muito duras
- Elimina menos de 30 g de fezes de cada vez

Ainda que, como mulher, tenha uma tendência maior para sofrer de obstipação (devido às mudanças hormonais da gravidez e/ou da menopausa), não se preocupe se alguma destas condições se regista apenas ocasionalmente, desde que não interfira com o ritmo normal do intestino. Ainda assim, caso se sinta desconfortável, peça o aconselhamento do seu médico ou farmacêutico.

Esses profissionais podem propor-lhe soluções eficazes e seguras que, nas doses recomendadas, ofereçam uma resposta rápida e pontual, sem danificar o cólon. Alguns cuidados com a alimentação também ajudam a minimizar o problema:

- O consumo regular de sementes de linhaça tem um efeito laxante no organismo. Use-as para temperar saladas e para aromatizar iogurtes e sopas.

- Beba muita água. O ideal é habituar-se a ingerir entre um litro e meio a dois litros por água. Nas fases de maior obstipação, nunca beba menos de seis copos de água por dia.

- Coma ameixas secas. Além de ser um dos frutos mais laxantes, contêm fibras alimentares que ajudam a regular o trânsito intestinal.

artigo do parceiro:

Comentários