15 comportamentos preventivos que quem não quer ficar doente tem de adotar já

Os meses mais frios do ano são também os mais propensos a gripes e constipações. Para não cair de cama com febre, a prevenção é o melhor remédio. Veja o que deve fazer para se proteger.

Ano após ano, a história repete-se. As temperaturas descem, o frio, o vento e a chuva tornam-se constantes, os vírus atacam em força e milhares de pessoas vão parar à cama. Gripes, constipações e infeções respiratórias são apenas algumas das consequências desta conjuntura que lhes é particularmente propícia. Existem, contudo, comportamentos preventivas que deve adotar.

Estes são alguns dos que os especialistas nacionais e internacionais mais recomendam. Veja também a galeria de imagens com 10 coisas a fazer (sempre) para escapar aos vírus no inverno.

1. Saia de casa

Fechar-se em casa no inverno é um erro. Embora se admita que a mucosa respiratória se torne mais suscetível à entrada de vírus e bactérias em ambientes frios e húmidos, o principal risco está no interior das habitações, onde a probabilidade de transmissão de infeções respiratórias, por via inalatória, de pessoa a pessoa ou através de gotículas transmitidas através das mãos, é maior.

Além disso, só por si, o contacto com a natureza ajuda a regular o sistema imunitário, como confirmam inúmeros estudos, nacionais e internacionais, desenvolvidos ao longo das últimas décadas.

2. Respire pelo nariz e não pela boca

As narinas têm a função de filtrar e aquecer o ar, ajudando a prevenir as infeções respiratórias. No dia a dia, procure, assim, respirar pelo nariz em vez de o fazer pela boca.

3. Durma bem

O ideal são sete a oito horas por noite. Pode não lhe parecer importante para a prevenção de gripes e constipações, mas é, uma vez que é durante o repouso noturno que se dá a recuperação das células imunitárias.

4. Hidrate-se convenientemente

As infusões e os chás ajudam a mantermo-nos quentes, contribuem para uma maior fluidez das secreções e para uma expulsão mais eficaz dos microrganismos. Além disso, deve também procurar ingerir, pelo menos, um litro de água diariamente.

5. Coma sopa

Para se alimentar de forma mais saudável neste período, inicie sempre uma refeição com uma sopa. Com abundante variedade de legumes coloridos e produtos hortícolas, as sopas são excelentes fontes de nutrientes protetores, como a vitamina C.

6. Privilegie os alimentos de inverno

Os citrinos e o quivi, ricos em vitamina C, figuram no topo da lista. Em sumo ou em associação com outro alimento, como o iogurte, por exemplo, são importantes para o reforço das nossas defesas. Veja também a galeria de imagens com os alimentos mais ricos em vitamina C.

7. Respire ar puro

Respiramos, por dia, seis a dez mil litros de ar que transportam partículas de poluição, bactérias e vírus com capacidade para originar inflamação e infeção. A saúde do aparelho respiratório passa pela respiração de ar não poluído, quer no interior, quer no exterior.

Do mesmo modo, condições climáticas mais agressivas e persistentes (frio, chuva, humidade e vento) podem originar condições facilitadoras de infeções, pelo que há que evitá-las, assim como os ambientes com ar muito seco.

8. Largue o tabaco

Não fume, de forma ativa ou passiva. O fumo do tabaco acaba por afetar as vias respiratórias, fragilizando-as.

9. Não se aproxime de pessoas doentes

Evite o contacto com pessoas com doenças respiratórias.

10. Adapte a sua casa

Recorra a desumidificadores e ligue o exaustor na cozinha e o ventilador na casa de banho para manter os níveis de humidade por volta dos 60%. O excesso de humidade é prejudicial.

11. Abra as janelas

Areje bem o ambiente da sua casa e escritório, abrindo as janelas. Para não sofrer com as correntes de ar, o ideal é mantê-las abertas enquanto não está nessas divisões. Uma casa arejada é uma casa mais saudável.

12. Selecione os ambientes que frequenta

Evite aglomerações e ambientes fechados ou poluídos, com fumos, poeiras, odores intensos ou substâncias químicas.

13. Evite mudanças bruscas de temperatura

Permanecer num ambiente muito quente e, depois, num muito frio ou vice-versa também não é recomendado. As mudanças bruscas de temperatura afetam o sistema imunitário, tornando o organismo mais propenso a doenças.

14. Previna o bolor

Em casa, repare todas as fendas e goteiras. A humidade encoraja o desenvolvimento de bolor e de outros microrganismos que podem estar na origem de muitos dos problemas de saúde mais comuns deste período.

15. Não exagere no ar condicionado

Regule os equipamentos de ar condicionado de forma a que o ambiente não esteja nem muito frio nem muito quente e mantenha os filtros limpos, uma situação que muitas pessoas e muitas empresas tendem a menosprezar.

Texto: Vanda Oliveira com Manuel Santos Rosa (professor catedrático de imunologia na Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra), Miguel Rego (nutricionista mestre em saúde pública) e Teresa Marta (mestre em psicoterapia e coach)

artigo do parceiro:

Comentários