Treine a sua saúde

Quer atingir e manter o peso ideal, conhecer o seu corpo e perceber qual o tipo de alimentação melhor para si? Então o melhor é consultar um… health coach!

Estabeleceu como objetivo no início deste ano sentir-se mais saudável. Só não sabe como. Bem, saber sabe, o problema é que acaba por não fazer nada. O tempo vai passando e as resoluções de ano novo foram por água abaixo. Afinal, não mudou a sua alimentação, não se inscreveu no ginásio e não começou a pensar mais em si. Está sempre a perguntar-se onde é que vai conseguir encontrar a força, a disciplina e a energia que precisa para conseguir atingir aquilo que quer. «Se eu não consigo sozinho, quem me poderá ajudar a dar os passos que preciso?», questiona. A resposta está aqui!

Para a ajudar na procura do estilo de um vida mais saudável, que englobe uma alimentação equilibrada, uma vida social plena e espiritualidade, surge um novo profissional, o health coach, uma prática muito enraizada nos EUA, mas que só agora começa a despertar a atenção no nosso país. Teresa Alves Barata é a pioneira desta modalidade no nosso país, praticando-a há já três anos. Até há bem pouco tempo era mais conhecida como fundadora dos sumos e smoothies das lojas Liquid. Começou por ser uma autodidata de nutrição.

Em 2013 tirou o curso de health coach do Institute for Integrative Nutrition em Nova Iorque e, agora, pratica esta nova forma de aconselhamento alimentar. Conversámos com ela e descobrimos que, se tivermos força de vontade, com a sua ajuda conseguimos atingir todos os nossos objetivos acima propostos. «Acho que fui mesmo a primeira portuguesa a tirar este curso», revela, em entrevista.

O que é um health coach?

Não é um nutricionista! Um health coach é uma pessoa que ajuda a mudar hábitos alimentares e a encontrar a dieta certa para nós, bem como a fazer as mudanças que queremos na nossa vida em termos de saúde, bem-estar e alimentação. Mas se é uma abordagem que começa pela alimentação, acaba também por abordar o exercício físico, os relacionamentos, a espiritualidade e o trabalho.

Tudo o que influencia a forma como comemos e a nossa saúde. Porque somos aquilo que comemos.  A única diferença é que eu não faço um plano nutricional. Tento perceber a forma como comem e o seu estilo de vida. E, depois, sessão a sessão, vou mais inserindo do que retirando novos hábitos. Os sumos verdes, retirar o trigo, inserir novos cereais…

Substitui antigos (maus) hábitos por novos. Logo não existe uma carência...

Não, não sentem essa carência. Mesmo se eu desconfio que há uma delas que pode ter intolerância ao glúten, por exemplo, faço-lhe uma dieta de eliminação de uma semana, que vai ser muito acompanhada e, nas semanas anteriores, ajudo-a a preparar a casa para compensar as refeições em que estava habituada a comer com glúten.

Veja na página seguinte: O tipo de acompanhamento que é feito

Comentários