Prazer aos pedaços

De chocolate, aveia, soja ou água e sal, a família das bolachas parece não ter fim. Saiba quais podem ser suas amigas e quais são as que deve (mesmo) evitar

Prazer e gulodice deixou de ser, desde há muito, a única ideia associada às bolachas. Pouco a pouco, elas foram conquistando o seu lugar na mesa dos portugueses e assumem-se atualmente como um agradável complemento alimentar, com maior número de cereais integrais presentes na sua confeção. Na verdade, uma das grandes vantagens das bolachas reside «no seu fácil acesso e transporte», conforme salienta a especialista em fisiologia do controlo de peso Teresa Branco.

É que as bolachas «estão sempre à mão e adaptam-se facilmente a um snack. De acordo com a fisiologista, o primeiro requisito para a escolha de bolachas deverá ser a reduzida «quantidade de gordura» e, sobretudo, «que estas sejam preferencialmente ricas em gordura insaturada e pobres em gordura transformada». Conheça as características das principais bolachas. Para saber quais são as melhores bolachas para a sua saúde, clique aqui.

Chocolate, recheadas ou cobertas

O chocolate é uma tentação difícil de resistir e, associado à bolacha, acaba por ser a perdição de muitas de nós. É bem verdade que Teresa Branco nos aconselha a «selecionar as bolachas que contêm menos açúcares de absorção simples e mais hidratos de carbono de absorção lenta», mas esporadicamente pode cometer um pecado. Isto, desde que não exagere e que tenha em atenção que «as bolachas mais açucaradas devem ser ingeridas, preferencialmente, depois das refeições», recomenda a especialista.

Crackers ou de água e sal

Acredita que umas bolachinhas cream crackers ou de água e sal, com queijo branco por exemplo, são uma opção mais leve? Talvez mas, também aqui, tudo depende da quantidade. Se ingerir cinco exemplares destas bolachas, poderá estar a introduzir no seu corpo cerca de três vezes mais gordura saturada do que a contida num pão francês. E já sabe que a gordura saturada, se consumida em excesso, pode depositar-se nos vasos sanguíneos, dificultando a passagem do sangue e contribuindo para problemas cardiovasculares.

Integrais

Mais equilibradas e saciantes, as bolachas integrais, conforme reforça Teresa Branco, também possuem gordura mas não saturada, logo «de melhor qualidade». Para a especialista estas bolachas acabam por se revelar uma boa opção, desde que consumidas em quantidades moderadas (no máximo três), podendo mesmo «ser ingeridas como snacks entre as refeições». Usualmente, este tipo de bolacha apresenta também uma maior quantidade de fibras, pelo que são «uma escolha saudável», garante.

De soja ou aveia

A soja e a aveia são uma espécie de alimentos funcionais que, além de serem nutritivos, também melhoram o desempenho fisiológico do corpo. Acredita-se que este tipo de ingredientes associado às bolachas pode conduzir, em alguns casos, a um melhor funcionamento dos intestinos e a uma redução do colesterol ou diabetes.

Texto: Cláudia Marina com Teresa Branco (especialista em fisiologia do controlo de peso)

artigo do parceiro:

Comentários