Plásticos sob suspeita

Afinal são perigosos ou não?

Os alegados alertas sobre o perigo para a saúde resultante da (re)utilização dos plásticos de garrafas, recipientes para cozinhar e armazenar alimentos e, até, biberões, circulam na internet há, já, vários anos.

Têm diversas frentes e sustentam os seus argumentos em informação alegadamente científica, mas que é totalmente falsa.

Conheça-os um a um.

Plásticos no microondas

Utilizar plásticos no microondas e congelar garrafas de água de plástico cria dioxinas, substâncias carcinogénicas e altamente tóxicas para o organismo que podem contaminar a comida/água?

A verdade

As embalagens e filmes plástico utilizados em contacto com alimentos e bebidas não contêm os constituintes químicos necessários para formar as dioxinas. As dioxinas só se produzem através da combustão a muito altas temperaturas (acima dos 700 º Fahrenheit ou 668 º Centigrados), temperaturas essas que os microndas nunca atingem.

Os materiais plásticos utilizados no fabrico de embalagens destinadas a contacto com alimentos têm de obedecer a apertadas regulamentações (quer europeias quer provenientes do FDA, Food and Drug Administration) e são submetidos aos mais diversos testes que as mesmas impõem, antes de poderem ser comercializados.

Estas embalagens são concebidas e testadas para suportarem as temperaturas geradas nos microondas e nos congeladores, contendo símbolos específicos que permitem a sua identificação.

Comentários