O salmão vicia?

Nutricionista Miguel Ângelo Rego esclarece esta questão

O salmão é um peixe muito rico em ácidos gordos ómega-3, cujas propriedades nutricionais aportam benefícios para a saúde cardiovascular, combatem os processos inflamatórios e melhoram o perfil lipídico, reduzindo os níveis de maul colesterol (LDL).

Não existem relatos de que o seu consumo se torne aditivo, pelo que pode sempre fazer parte das suas escolhas alimentares semanais, garantindo que ingere carne e peixe com a mesma frequência.

No entanto, sendo um peixe gordo, por vezes o seu consumo em quantidades acima do aconselhável pode tornar a digestão mais difícil. Esta espécie de peixe é bastante versátil na combinação com outros alimentos, como a batata cozida ou assada com pele, massas alimentícias diversas ou legumes e hortícolas, que podem ser cozidos, grelhados ou assados. Do ponto de vista nutricional, o salmão fresco é muito semelhante ao fumado.

O proveniente da aquacultura representa a maior parte do salmão consumido em Portugal. Esse salmão tem um teor de gordura mais elevado do que o selvagem e menor teor em ácidos gordos ómega 3. O salmão de aquacultura tem o corpo mais arredondado por ser criado em tanques, com menos espaço disponível. Além disso, tem uma coloração ligeiramente mais rosada, embora possa ser manipulada pelos criadores, com a adição de pigmentos à ração.

Algumas receitas saudáveis com salmão que pode experimentar:

Salmão marinado com nectarinas

Tártato de salmão com mostarda

Salmão fumado com requeijão

Salmão de grãos com salmão e cogumelos


Revisão científica: Dr. Miguel Ângelo Rego

artigo do parceiro:

Comentários