Dúvidas, problemas e dificuldades na alimentação do seu filho

Um livro on-line gratuito da responsabilidade da Associação Portuguesa dos Nutricionistas (APN) esclarece pais e encarregados de educação sobre as questões que os preocupam quanto à alimentação das crianças. A recusa alimentar, os doces e gorduras, tornar a sopa apelativa, estão entre as temáticas tratadas.

O e-book editado pela APN abre com algumas informações básicas sobre a alimentação dos mais pequenos: três refeições principais (pequeno-almoço, almoço e jantar) e dois ou três lanches ao longo do dia.

Entre os muitos conselhos sensatos apresentados, está a necessidade de iniciar o almoço e o jantar com uma sopa; incluir o leite, os cereais, a fruta e os hortícolas frescos na alimentação diária; variar entre carne e peixe.

O consumo de água e a redução de alimentos açucarados e gorduras são alertas deixados pela APN que insiste na mensagem: “comer sempre a horas certas e não petiscar antes das refeições, uma vez que se mantiver uma rotina alimentar a fome do seu filho vai-se adaptar ao horário estabelecido”.

O livro avança com um conjunto de perguntas, sempre com resposta pronta e fundamentada por parte da equipa de nutricionistas responsável por esta obra.

Ficam, aqui, algumas entre as dezenas de questões respondidas neste e-book:

- Se o meu filho fizer uma alimentação pobre em gorduras será magro e saudável?

Este é um grande mito da nutrição. A redução das gorduras da dieta por si só não irá ajudar o seu filho a ser magro e saudável.

- A alimentação vegetariana é saudável para o meu filho?

Sim. Uma alimentação vegetariana ou vegan, quando bem planeada e completa é adequada em qualquer fase da vida, desde o nascimento até à idade adulta, incluindo a gravidez e lactação. Este tipo de alimentação é capaz de fornecer todos os nutrientes que o seu filho precisa para crescer saudável.~

-Como devo incluir a alimentação familiar na alimentação do meu filho?

Até aos seis meses, o alimento do seu filho deve ser exclusivamente o leite materno. A partir dos seis meses de vida, a criança deve passar a receber alimentos complementares. A introdução de novos alimentos deve ser feita cuidadosamente, de uma forma gradual e baseada no crescimento do seu filho. Respeite o desenvolvimento das suas capacidades.

- As crianças devem comer tudo passado enquanto não tiverem dentes?

Os dentes começam a surgir por volta dos seis meses de idade, no entanto existem casos em que estes surgem apenas alguns meses depois. Isso não representa necessariamente um problema, pois a criança pode começar a comer alguns alimentos para além do leite, papas ou purés, mesmo antes dos dentes surgirem, visto que para alimentos de mastigação fácil a criança utiliza as gengivas.

- Como lidar com a recusa alimentar?

Ofereça o alimento à criança e avalie a sua reação, de forma a saber se a criança gosta ou não do alimento. O gosto do pai e da mãe não devem influenciar a criança, devendo os pais insistir com a ingestão de alimentos mesmo que não sejam da sua preferência.

- Como ensinar a gostar de sopa?

Tenha em atenção o aspeto, cor e textura da sopa; Comece por dar sopa passada, mas apenas com dois ou três legumes de base. Introduza os hortícolas inteiros de forma gradual e cortados em tamanhos pequenos. Não abuse na variedade de hortícolas numa mesma sopa, para não confundir sabores.

- Quando devo permitir doces e guloseimas?

Se o seu filho mantiver uma alimentação saudável, os doces e guloseimas são permitidos em dias especiais. Nestas ocasiões, prefira bolos e snacks caseiros em vez dos embalados ou confecionados com grandes quantidades de açúcar e gordura de má qualidade. Nos bolos e doces caseiros poderá controlar os ingredientes que adiciona e escolher os mais adequados. Tenha em atenção que, mesmo em dias de festa, o seu filho não deve exagerar na ingestão destes alimentos;

artigo do parceiro:

Comentários