Como eu emagreci

Os testemunhos de duas mulheres que seguiram uma das dietas mais em voga

Nos meses que antecedem o verão e nos que sucedem às festas, na tentativa de colmatar os excessos alimentares feitos durante as semanas e até mesmo os meses anteriores, assiste-se a uma verdadeira corrida às dietas.

Isabel Almeida e Ana Marcelino não são exceção e, depois dos tradicionais exageros e abusos típicos da quadra natalícia, resolveram experimentar uma das dietas em voga.

São quatro as fases do plano alimentar Lev, à base de refeições em pó. Na primeira, só se ingerem alimentos e produtos Lev e legumes e tomam-se suplementos nutricionais. Na segunda fase, quem segue este regime continua a comer refeições Lev, mas já pode incluir outro tipo de legumes, alargando o leque de opções. Na terceira fase, introduzem-se quantidades controladas de carnes brancas ou alguns peixes ao almoço.

Isabel Almeida passou pela experiência e encontra-se na reta final do plano. «A toma de suplementos terminou e a alimentação passou a ser toda normal, com atenção às quantidades e tipo de alimentos. Poucas gorduras e nada de açúcares é o segredo», conta. Também Ana Marcelino, que está na segunda fase da dieta, nos relata sobre a sua experiência. Conheça os pormenores já a seguir.

O peso da maternidade

Os 25 quilos que tinha ganho há três anos, na sequência da gravidez, teimavam em não desaparecer e a gordura acumulada nas pernas, ancas, rabo e zona abdominal dificultavam-lhe a vida. «Queria vestir roupas mais jovens e estar na moda o que, com excesso de peso, não é fácil. Sentia-me também cansada e sem forças. Moro num primeiro andar e subir e descer as escadas com a minha filha ao colo era difícil», admite Ana Marcelino, secretária de 31 anos.

Uma vida nova

Perder 20 quilos foi o objetivo definido em conjunto com a nutricionista que a acompanhou. «Marquei a primeira consulta para dia 27 de dezembro de 2011 e acordei com a nutricionista iniciar o tratamento no dia 2 de janeiro», recorda. A avaliação teve em conta a sua altura, idade e estado de saúde. «Sempre fui saudável e não me foi indicado qualquer problema que pudesse surgir na sequência da dieta, a não ser sentir dores de cabeça ou ficar mais impaciente nos primeiros dois a três dias», sublinha.

Projeto em curso

Com 15 quilos já perdidos e com determinação para perder mais, Ana Marcelino diz que não poder comer pão e nem tomar o seu pequeno-almoço habitual foi o que mais lhe custou nas primeiras semanas. Após uma fase inicial «em que deveria ter como objetivo a perda de oito a nove quilos em 40 dias», encontra-se agora na segunda fase do plano alimentar, em que o objetivo é perder um a dois quilos a cada dez dias. «Tenho feito tudo à risca, embora por vezes as tentações sejam grandes», garante, o que não a impede de confessar que tem «muitas saudades de comer pão com manteiga».

Da mesa para a vida

Endívias e curgete são alimentos que Ana nunca tinha comido, mas que agora até já os sabe cozinhar. «Além de se perder peso, aprendem-se muitos hábitos alimentares saudáveis», afirma. «Aprendi a preparar as minhas refeições de várias formas, a comer sopa como prato principal, a beber os dois litros de água recomendados até às 17 horas, para o organismo ter tempo de drenar até à hora de deitar, entre outras coisas», refere.

Os resultados foram notórios, no caso de Ana Marcelino, no final da primeira semana. «O meu marido, amigos e colegas começaram a notar a perda de volume. As minhas roupas estavam mais largas e menos coladas ao corpo», recorda, visivelmente satisfeita. Algumas das suas colegas de trabalho acabaram mesmo por iniciar o mesmo regime de emagrecimento pouco tempo depois.

Exemplos inspiradores

«Queria ficar com um corpo com mais formas e menos gordura, principalmente na zona abdominal e nas pernas», conta Isabel Almeida, empresária de 54 anos, que encontrou motivação noutros casos bem sucedidos. «Depois de ver os resultados fantásticos em algumas pessoas que conheço, disse para mim que esta era a dieta que queria fazer porque, em pouco tempo, ficaria com o aspeto que desejava», convenceu-se. E assim foi. Os resultados não demoraram tempo a surgir.

Adeus gordura

«Gostava de dizer a todas as pessoas que sofrem de problemas de colesterol elevado, como era o meu caso, que com esta dieta o meu colesterol voltou aos valores normais», frisa Isabel Almeida. Embora, na sua idade, não seja aconselhada a abandonar a medicação que toma há seis anos, a notícia não poderia alegrar mais a empresária. Este problema era do conhecimento do nutricionista que a acompanhou desde a primeira consulta. «Foram-me colocadas várias questões sobre a minha saúde, o tipo de medicação que tomava e foi-me dito que, se sentisse algum sintoma fora do comum, deveria ligar à nutricionista», recorda.

Superar dificuldades

Foi por uma omelete de fiambre que começou o seu contacto com as refeições Lev, mas entretanto provou muitas outras. «Não me custou habituar, são muito saborosas e variadas, podemos até comer doces», diz. «O que mais me custou foi ter de comer tantos legumes porque, ao fi m de alguns dias, já falta imaginação para os cozinhar», confessa. Também no plano social surgiram desafios e, mais uma vez, a prova foi superada. «Não é prático ir ao restaurante e levar as saquetas, mas consegui contornar isso convidando os amigos para irem a minha casa. Assim consegui manter a dieta e conviver», revela.

BI de Ana Marcelino
Idade: 31 anos
Altura: 1,76 m
Peso inicial: 91 kg
Objetivo: Perder 20 quilos
Peso atual: 76 kg

BI de Isabel Almeida
Idade: 54 anos
Altura: 1,55 m
Peso inicial: 61 kg
Objetivo: Perder cinco a seis quilos
Peso atual: 55,5 kg

artigo do parceiro:

Comentários