Comida japonesa é rica em fibras e vitaminas

Selecione do cardápio nipónico as melhores opções para a sua saúde e ingira-as na dose certa

A gastronomia japonesa conquistou os portugueses. E há boas razões para isso.

«Veio acrescentar variedade ao consumo de diferentes espécies de peixes, o que para muitas pessoas, afastadas desde a infância do peixe, devido à forma monótona e sem sabor com que é frequentemente apresentado, veio permitir a exploração deste alimento», analisa o nutricionista Miguel Rego.

Este especialista elogia o peixe, ao qual aponta, «características nutricionais muito equilibradas». «O conceito de desgustação e o consumo de porções mais pequenas permite explorar o sentido da saciedade precoce», acrescenta ainda. Os pratos nipónicos destacam-se ainda pelo seu «elevado consumo de vegetais, algas e peixe. As refeições oferecem alto teor em fibras, vitaminas e proteínas vegetais e animais com baixo teor de gordura», conta Marisa Costa, dietista. Ainda assim, como em todas as culturas gastronómicas, a regra é moderar e variar.

Tempura

Fritos inspirados nos peixinhos da horta, introduzidos no Japão pelos portugueses. As vantagens para a saúde são várias. «Os vegetais, ricos em fibras e esteróis vegetais, regulam o funcionamento do intestino, favorecem a saciedade e diminuem a absorção de gorduras e açúcares», elucida Marisa Costa.

«O peixe, rico em gordura polinsaturada, além de atuar na prevenção de doenças cardiovasculares, é fonte de proteínas de origem animal, fornecedoras de aminoácidos, importantes para a formação de tecidos celulares e massa muscular», acrescenta.

Não deixando de ser frito, este tipo de alimentos também tem algumas desvantagens. «O excesso de gordura na alimentação contribui para o aumento de peso e, dependendo do tipo de gordura, pode ainda desenvolver compostos químicos nefastos», refere o especialista. Evite se é intolerante à fibra (nomeadamente se sofre de colite ou de doença de Crohn), se sofre de obesidade ou se tem dislipidemia.

Comentários