Chef de comida tailandesa por um dia

O relato de quem fez um workshop de cozinha tailandesa. E adorou!

Um arco-íris de cores, texturas, cheiros e sabores é talvez a melhor forma de descrever a experiência de provar a comida tradicional da Tailândia, um país situado no sudoeste asiático e cuja população é maioritariamente budista.

Partimos à descoberta destagastronomianum workshop de cozinha «Thai», organizado pela embaixada da Tailândia e pela Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa. Eis o que aprendemos...

Os princípios gerais

O que torna a comida tailandesa especial é a mistura de sabores. No mesmo prato, podem-se concentrar os vários sentidos do paladar: doce, salgado, azedo com toques picantes e amargos. Todos os pratos caracterizam-se pela riqueza dos seus ingredientes e pela criatividade e requinte da sua apresentação.

Além disso, e segundo Chayanit Prampate, chef tailandesa e docente na Rajamankala University of Technology Krungthep, de Banguecoque, «as receitas tailandesas servem apenas de orientação, já que são altamente adaptáveis». Isto significa que, ao prepararmos um prato típico deste país, podemos ajustar as quantidades e temperos para que o resultado final seadapte ao gosto pessoal.

A base da refeição


O centro de cada refeição tailandesa é o arroz. Este serve-se de múltiplas formas, nomeadamente cozido, frito ou incluído na sopa. Em vez de um prato principal e vários acompanhamentos, como é característico em Portugal, uma refeição tipicamente tailandesa tem o arroz como elemento principal, sendo os restantes pratos servidos todos ao mesmo tempo. Assim, nas tradições gastronómicas tailandesas, não há uma ordemhabitual de entradas, sopa e prato principal durante uma refeição. A isto chama-se ter uma «thai meal, in a thai way».

Ver artigo completo

Comentários