Bruschetta de magret de pato com compota de cebola roxa e rúcula

Pelo chef Luis Rodrigues, do restaurante Populi, em Lisboa

Remonta pelo menos ao século XV. De origem italiana consiste, na sua génese, em pão torrado, esfregada com alho e coberto com azeite, sal e pimenta. A bruschetta é normalmente servida como aperitivo ou lanche e conhece já inúmeras variações.

Para o pão saloio

  • 2 fatias de pão
  • 5 g de azeite
  • 2 g de flor de sal

Aparar as fatias de pão e por num tabuleiro. Pincelar com o azeite e a flor de sal e levar ao forno até ficar torrado.

Para o pato

  • 100 g de magret de pato
  • 2 g de sal
  • 5 g de azeite
  • 10 g de mel
  • 2 g de alho
  • 1 folha de louro

Numa frigideira dispor o azeite, o alho e a folha de louro. Quando o alho alourar dispor o magret sempre do lado da pele. Quando bem crestado virar o magret e por cima da pele dispor o mel. Deixar confecionar até ao ponto desejado (deve ser mal passado).

Para a compota de cebola roxa

  • 1 quilo de cebola roxa cortada em meias luas
  • 5 g de sal
  • 5 ml de azeite
  • 350 g de açúcar
  • 100 ml de vinagre de vinho tinto
  • 10 g de manteiga
  • 20 g de mel
  • 1 pau de canela
  • 2 anis estrelado
  • 2 g de cardamomo

Dispor num tacho a manteiga, o azeite e as especiarias. Quando as especiarias estiverem alouradas dispor a cebola e o açúcar. Quando estiver confecionada a cebola dispor o vinagre e por fim o mel. Deve ficar com a consistência de uma compota.

 A bruschetta deve ser servida primeiro. Deve dispor-se o pão, depois a cebola e por cima o pato cortado finamente. Poderá ser acompanhado com rúcula ou com uma mistura de alfaces.

Comentários