Barriga de cerveja? Depois dos 40 ataca em força

Pode estar a comprometer a sua forma física se continuar a comer aos 40 o mesmo que comia aos 30. Conheça os conselhos do médico Carlos Portinha.

Há vários fatores a influenciar o aumento de peso a partir dos 40 anos. Se por um lado o nosso metabolismo basal pode começar a desacelerar, reduzindo assim a quantidade de calorias necessárias para cumprir as atividades do dia-a-dia, por outro a tonicidade muscular começa a diminuir. "A conjugação desses fatores facilita o aumento do depósito de gorduras, uma vez que com menos músculo e o metabolismo mais baixo, queimamos menos calorias", frisa o clínico Carlos Portinha.

Isto significa que estará a comprometer a sua forma física se continuar a comer aos 40 o mesmo que comia aos 30. "Nesta altura é importante que se informe, adapte a sua alimentação às novas necessidades e invista em exercício físico. De outra forma, começará a armazenar gordura e a abrir caminho para a incomodativa barriga de cerveja", comenta o especialista.

O aumento do perímetro abdominal pode também afetar a sua vida sexual. "Homens com uma acumulação significativa de gordura abdominal têm concomitantemente menos massa muscular, o que se traduz em níveis de energia e líbido mais baixos em comparação com os homens da mesma idade que estão em forma", alerta o médico.

Veja ainda: 25 truques inimagináveis para perder peso

Leia também8 coisas que não sabia sobre a gordura abdominal

Além da questão sexual, o depósito de gordura na zona abdominal acarreta riscos significativos para a saúde. Enquanto as mulheres têm tendência para armazenar gordura subcutânea, que se deposita debaixo da pele e não comporta, em níveis normais, problemas importantes para a saúde, os homens armazenam grande parte da sua gordura no abdómen. "Esta gordura, essencialmente a nível visceral, é metabolicamente ativa e contém grandes quantidades de colesterol e triglicerideos, provocando danos significativos nos órgãos que envolve, como o fígado, estômago e intestino", enumera Carlos Portinha.

Valores superiores a 102 cm de perímetro de cintura (88 cm nas mulheres) favorecem o desenvolvimento de doenças cardiovasculares e/ou diabetes, patologias crónicas graves. A acumulação de gordura no abdómen intensifica ainda a resistência periférica à insulina, dificultando o controlo do açúcar no sangue e aumentando o risco de mortalidade em 20%.

Depois dos 40

Depois dos 40 é demasiado fácil cair no descuido e sem se dar conta, perder a agilidade e a vitalidade da juventude. "Cuidados com a alimentação e exercício tornam-se imprescindíveis para reativar o metabolismo, minimizar a perda de massa muscular e evitar o crescimento da barriga e todas as suas consequências. Caso contrário, arrisca-se a olhar ao espelho e não ver refletido o homem que pensa que é ou quer ser", alerta o médico.

O apoio de profissionais especializados como médicos, nutricionistas, técnicos de atividade física e coaching é fundamental para recuperar a forma de maneira saudável e com resultados a longo prazo. "Desta forma evita-se o efeito das dietas ió-ió, em que se emagrece, mas rapidamente se readquire gordura", conclui o médico.

Os conselhos são de Carlos Portinha, Médico Especialista em Medicina Geral e Familiar.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários