As crianças e os vegetais

Apesar da disponibilidade e imensidão de produtos alimentares, pode ser difícil fazer os mais novos consumirem fruta e vegetais, não sendo tão apetitosos como os seus rivais doces e guloseimas.

Cada vez mais o consumo de fruta e vegetais está associado a um menor risco de doenças, sejam elas de que tipo forem.

Apesar da disponibilidade e imensidão de produtos alimentares, pode ser difícil fazer os mais novos consumirem fruta e vegetais, não sendo tão apetitosos como os seus rivais doces e guloseimas.

Aparentemente as crianças ainda consomem uma quantidade menor do que a recomendada de fruta e vegetais, podendo representar um factor de risco para o desenvolvimento futuro de patologias crónicas.

Com o aumento de doenças como diabetes, cancro, obesidade e doenças cardiovasculares, os cientistas têm procurado descobrir como preparar as futuras gerações, para que a sua preferência seja redirecionada para o consumo de fruta e vegetais.

Num estudo recente os cientistas reviram os métodos para ensinar as crianças a gostar de vegetais e descobriram a importância de expôr as crianças ao consumo deste tipo de alimentos em tenras idades.

Apenas as crianças que não foram expostas aos vegetais no início das suas vidas, necessitam de algum condicionamento associativo, de forma produzir habituação ao sabor mais amargo.

Se o seu filho ainda não nasceu, ou ainda está na fase de introdução alimentar, lembre-se de o expôr a todo o tipo de vegetais, de forma a criar uma habituação, facilitando a sua vida, e mais importante, zelar pela saúde do mesmo.

Por outro lado, se o seu filho não foi habituado a consumir os vegetais mais amargos, talvez esteja na altura de com calma e algum condicionamento, o ir familiarizando e habituando-o ao sabor.

artigo do parceiro:

Comentários