As cirurgias contra a obesidade resultam?

Os prós e os contras dos três tipos de operações bariátricas mais comuns

O recurso a uma operação para combater a obesidade é muitas vezes recomendado pelos médicos. Existem três tipos de cirurgias bariátricas mais frequentemente utilizadas.

São elas o bypass gástrico, o sleeve gástrico (ou gastrectomia vertical) e a banda gástrica.

As duas primeiras são consideradas cirurgias de má absorção.

Não existe absorção de parte dos nutrientes, o que leva ao emagrecimento. A banda gástrica consiste numa prótese de silicone com um balão insuflável que permite controlar o esvaziamento do alimento da parte alta para a parte baixa do estômago.

É a menos recomendada, pois, a longo prazo, é menos eficaz na perda de peso e na sua manutenção. As cirurgias bariátricas são indicadas para pacientes obesos severos com ou sem fatores de risco cardiovascular e para pessoas que, não sendo obesas, apresentam esse risco. Por envolverem sempre algum cuidado, devem ser apenas recomendadas quando todos os outros métodos indicados para a perda do peso falham e as pessoas se encontram em risco de comprometer a sua saúde.

De qualquer forma, a eficácia da cirurgia está amplamente associada a um estilo de vida saudável. Como a perda de peso é muito acentuada, quem é submetido a uma cirurgia bariátrica deve fazer atividade física regularmente, de forma a não perder massa muscular. A prática de exercício físico melhora, ainda, a capacidade cardiorrespiratória e diminui a probabilidade de depressão.

Prós e contras destes tipos de cirurgia:

Sleeve e bypass gástricos

Vantagens:

- Promovem uma grande perda de peso.

- Melhoram o controlo de várias doenças associadas à obesidade, como a diabetese a dislipidemia.

Desvantagens:

- Parte do peso perdido é recuperado a longo prazo.

- Alguns estudos referem que existe uma maior taxa de suicídio e depressão.

- Provocam uma menor absorção de nutrientes mais saudáveis, sendo, por isso, aconselhada a toma de um suporte vitamínico e mineral.

Banda gástrica

Vantagens:

- É uma técnica menos invasiva.

- Provoca uma grande perda de peso.

Desvantagem:

- Uma grande parte do peso perdido é recuperado a longo prazo.

Revisão: Teresa Branco (fisiologista na gestão do peso e directora do Instituto Profª. Teresa Branco)

artigo do parceiro:

Comentários