A importância dos alongamentos

Personal trainer esclarece as principais dúvidas

Os alongamentos devem ser feitos antes e após a prática de exercício, mas antes devem ser realizados de forma dinâmica, de modo a preparar as fibras musculares para o exercício, aumentar a amplitude do movimento e aquecimento.

Antes de treinar, recomendo uma pré-ativação muscular que implica um aquecimento progressivo que é, ao mesmo tempo, um alongamento dinâmico. Não alongar terá relação direta, oposta, com todos os aspetos referidos na caixa benefícios.

Contudo, segundo vários estudos e investigações internacionais, o alongamento excessivo, ao ponto de profunda dor, pode ser inadequado e destruir as fibras. Outros estudos demonstram que as rotinas de alongamento e flexibilidade diminuem a viscosidade músculo-tendinosa. Em desportos com poucos ciclos de alongamento (corrida, ciclismo), estes podem degradar a atividade física e não têm efeitos na redução de lesões. Posto isto, alongue sim, mas com moderação.

Como alongar

Estas são as forma de o fazer mais recomendadas:

- Em pé

Segure um dos pés contra o glúteo, alongando o quadricípite (parte anterior da coxa). Troque a cada 30 segundos. Com as pernas esticadas, leve o tronco à frente e tente tocar com as mãos no chão, alongando a parte posterior das coxas e pernas. Gire a cabeça para um lado e para o outro, para cima e para baixo.

- Sentado

Com as pernas afastadas, leve o tronco à frente, tente manter a coluna reta e os braços estendidos, alongando a coluna e os músculos adutores (parte interna das coxas).

Os benefícios dos alongamentos

- Redução de tensões musculares e relaxamento
- Melhoria da coordenação, contribuindo para movimentos mais soltos e fáceis
- Aumento do arco de amplitude muscular
- Prevenção de lesões
- Desenvolvimento da consciência corporal
- Ativação da circulação


Revisão: Bruno Brito (personal trainer de pilates e treino funcional)

artigo do parceiro:

Comentários