A alimentação da criança

Esclarecer dúvidas e sugerir pequenas alterações nos hábitos alimentares do dia-a-dia são os objectivos das sessões de sensibilização na área de educação Alimentar e Promoção da Saúde da Câmara Municipal de Lisboa.

O leite com chocolate e os sumos de pacote, as batatas fritas e os bolos industriais, as preferências das crianças e a introdução de novos alimentos. De tudo isto se falou na tarde de 31 de Maço, na pequena biblioteca da Escola EB1 de Santo Condestável. Uma acção de sensibilização, à semelhança de tantas outras em escolas lisboetas, onde se pretende dar aos pais um guia para uma alimentação mais saudável. Goreti Lopes e Marline Furtado dão exemplos de como se pode prevenir doenças e optar por um estilo de vida mais saudável.

Tudo se baseia em dois princípios: o equilíbrio entre a diversidade de alimentos disponíveis e o exercício físico regular. “Adoptar uma alimentação equilibrada reduz significativamente a probabilidade de sofrer de excesso de peso, doenças cardiovasculares, obesidade, diabetes tipo II, hipertensão, colesterol elevado, entre outras patologias”, lê-se no folheto entregue aos pais, ilustrado com a pirâmide alimentar.

Deve-se respeitar as preferências das crianças, dizem as especialistas, mas sem desistir de apresentar novos alimentos sempre que possível. Sobretudo, é importante dar o exemplo, comendo sopa e legumes regularmente, proporcionando refeições em família calmas e divertidas, sem televisão nem stress. Enfeitar o prato “desenhando” uma cara com os alimentos e deixar as crianças participar na preparação da refeição são outros conselhos a seguir.

 

Entre as pequenas alterações que se devem fazer no dia-a-dia das famílias, as dietistas sugerem:

 

- Alimentar-se deve ser um prazer. Cozinhe os alimentos de forma diferente e faça novas combinações de sabores.

-Distribua os alimentos por várias refeições ao longo do dia, começando por um bom pequeno-almoço. É melhor comer várias vezes pequenas porções do que muitos alimentos de uma vez.

- Dê cor aos pratos: use e abuse de produtos hortícolas em acompanhamentos e sopas.

- Prefira os frutos da época e coma diariamente 2 a 3 peças.

- Os lacticínios ajudam a fixar o cálcio nos ossos, por isso é importante manter o consumo diário de leite, queijo e iogurtes ao longo da vida.

- Os peixes gordos ou magros devem também fazer parte da dieta alimentar várias vezes por semana.

- Dê preferência às carnes brancas (frango, peru, coelho, porco), de preferência magras. São muito versáteis e podem ser confeccionadas de várias maneiras, mas deve evitar-se as frituras.

- Recupere as leguminosas como feijão, ervilhas, grão e favas dos pratos tradicionais, reduzindo a quantidade de carnes gordas que normalmente as acompanham.

- Prefira pão, arroz e massas integrais ou de mistura, em vez das versões brancas. Ao pequeno-almoço, opte por cereais não açucarados.

- As gorduras são importantes para manter o organismo em bom estado, mas deve dar preferência à mais saudável de todas: o azeite.

- Doces e “alimentos de conforto” devem ser utilizados apenas em situações especiais como festas.

- A água é indispensável: beba 1,5 litros por dia. Esqueça sumos refrigerantes e chás de pacote, que contêm demasiado açúcar.

- Ao cozinhar, substitua parte do sal por ervas aromáticas e especiarias.

 

Veja mais sobre este assunto http://sabores.sapo.pt/saude-e-nutricao/artigo/vamos-todos-ao-mercado

Ana César Costa

artigo do parceiro:

Comentários