XII Fórum de Dor das Ilhas Atlânticas

Especialistas ibéricos debatem dor crónica

Começa hoje o XII Fórum de Dor das Ilhas Atlânticas, em Tenerife, onde vão estar em debate as principais questões sobre o tratamento da dor. Esta iniciativa, com duração até ao dia 10 de junho, conta com o patrocínio científico da Associação Portuguesa para o Estudo da Dor (APED) e decorrerá, este ano, em simultâneo, com a XI Reunião Anual da Sociedade Espanhola.

A utilização de opióides no tratamento da dor é uma questão que vai estar em destaque, nomeadamente, através da discussão de casos clínicos de doentes tratados com este tipo de fármacos e das diversas “mesas redondas” e “painéis” onde serão apresentados os últimos estudos existentes sobre estas terapêuticas. Em debate estarão ainda os múltiplos tratamentos invasivos existentes para a dor crónica, nomeadamente a neuroestimulação e a radiofrequência.

De acordo com o médico Duarte Correia, membro fundador do Fórum de Dor das Ilhas Atlânticas e actual presidente da APED: “Esta é uma óptima oportunidade de aprendizagem, muito enriquecedora a nível científico pois permite uma formação teórico-prática para todos os participantes, em particular para os oriundos das ilhas da Macaronésia (Madeira, Açores, Canárias e da República de Cabo Verde), com a introdução de novas técnicas e modalidades terapêuticas na actividade clínica diária”.

Estima-se que mais de três milhões de portugueses sofrem de dor crónica. A lombalgia crónica, osteoartrose, cefaleias e artrite reumatóide são algumas das causas mais frequentes de dor crónica. Se a dor não for adequadamente tratada, a qualidade de vida das pessoas poderá ser gravemente afectada, podendo conduzir à incapacidade de trabalhar.

A Associação Portuguesa para o Estudo da Dor tem por objectivos promover o estudo, o ensino e a divulgação dos mecanismos fisiopatológicos, meios de prevenção, diagnóstico e terapêutica da dor.

Para mais informações consulte www.aped-dor.com

Veja também como aliviar a dor.

08 de junho de 2011

Fonte: LPM Comunicação/SAPO


Comentários