Vila Real faz vigília e campanha de alerta para problemas do hospital

A Câmara de Vila Real vai promover uma vigília e dar início a uma campanha para alertar para a falta de médicos, de enfermeiros e para as dificuldades económicas do Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD).

A proposta lançada pelo presidente do município, o socialista Rui Santos, foi aprovada hoje, em reunião de câmara, com os votos a favor do PS e os votos contra dos vereadores do PSD.

O autarca justificou esta tomada de posição com os problemas que se arrastam “há muito tempo” na unidade hospitalar que agrega os hospitais de Vila Real, Chaves e Lamego.

Rui Santos destacou, como um dos “casos mais gritantes”, a saída de “vários médicos anestesistas”, o que provocou uma “redução dos tempos operatórios em mais de 50%” e, consequentemente, “um grande aumento dos tempos de espera em cirurgia”.

Para além da partida dos anestesistas, o autarca elencou a saída de outros médicos como urologistas, otorrinolaringologistas ou dermatologistas, e destacou também a falta de enfermeiros.

O presidente referiu ainda que o CHTMAD possui um “défice de 11 milhões de euros”.

“O caos é evidente”, sublinhou.

A Câmara de Vila Real decidiu, por isso, promover uma vigília, em data ainda a determinar, que visa alertar para a situação “gravíssima” do centro hospitalar e para a qual vai convidar toda a população, bem como os profissionais que trabalham na unidade de saúde.

Comentários