Ver televisão mais de 20 horas por semana reduz qualidade do esperma

44 por cento menos concentração de espermatozoides
18 de fevereiro de 2013 - 16h57



Estudo da Universidade de Harvard revela que qualidade do esperma aumenta com a prática de exercício físico e que os jovens que passam mais de 20 horas a ver televisão desenvolvem sémen de baixa qualidade.



Vários estudos já tinham indicado que a qualidade do sémen tem vindo a decair nas últimas décadas. O comportamento sedentário parece estar ligado a esse facto.



Um novo estudo da Universidade de Harvard – publicado no British Journal of Sports Medicine compara agora a qualidade do esperma de jovens com comportamentos distintos: os que assistem a mais de 20 horas de televisão por semana e os que praticam 15 horas ou mais de atividade física no mesmo período de tempo. A concentração de espermatozoides revelou-se mais alta no segundo grupo.



Na análise participaram homens com idades compreendidas entre os 18 e os 22 anos.



A concentração, motilidade e morfologia dos espermatozoides estão, revela o estudo, diretamente associadas à atividade física dos indivíduos. Os jovens que praticavam 15 ou mais horas de exercício tinham 73 por cento mais concentração de espermatozoides do que os que se exercitavam apenas 5 horas.



Os homens que assistiam a mais de 20 horas por semana de televisão tinham 44 por cento menos concentração de espermatozoides do que aos não assistiam.



SAPO Saúde
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários