Vacina anti-obesidade

Nova terapêutica reduz o apetite e aumento do gasto de calorias

Uma equipa de investigadores do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS) do Porto, liderada pela endocrinologista Mariana Monteiro, desenvolveu uma nova terapêutica para tratamento da obesidade.

Mariana Monteiro explicou hoje à Agência Lusa que esta nova vacina terapêutica demonstrou que “através da supressão da atividade da hormona estimulante do apetite (grelina) em ratinhos, os animais diminuíram a ingestão de alimentos e aumentaram o gasto de calorias”.

Contudo, salientou a investigadora, a transposição destes resultados para o domínio humano obriga à realização de muitos outros estudos, que deverão prolongar-se por vários anos.

Os resultados da investigação do ICBAS foram apresentados no domingo na Reunião Anual da Sociedade de Endocrinologia, que decorreu em Boston, nos EUA, e deverão “em breve” ser publicados numa revista científica.

O grupo de investigadores desenvolveu a vacina usando um vírus não infecioso conjugado com a hormona, com o objetivo de provocar “uma resposta imune e o desenvolvimento de anticorpos contra a grelina, bloqueando a sua atividade”, disse.

“A esta fase seguem-se ainda muitos estudos no domínio animal, porque temos de fazer um caracterização muito detalhada dos efeitos biológicos desta vacina, uma vez que a grelina não participa só no apetite, tem outras funções biológicas e é preciso assegurar que não estamos a bloquear nenhuma dessas ações, nomeadamente na questão do crescimento e outras”, explicou.

O objetivo é “reduzir a grelina ao ponto de reduzir o apetite, mas não de inibir as outras funções da hormona”.
São necessários, por isso, “estudos detalhados da toxicidade”.

“Todos os estudos foram feitos do ponto de vista agudo, temos agora de os fazer do ponto de vista crónico até cumprir todo o protocolo vacinal. Uma vacina antigrelina pode tornar-se uma alternativa no tratamento da obesidade. No entanto, a terapêutica deverá ser sempre combinada com dieta e exercício físico", frisou Mariana Monteiro.

Segundo a investigadora, os efeitos da vacina são idênticos aos que se obtém com a cirurgia bariátrica.
“Quando os doentes são operados, quando fazem por exemplo um ‘bypass’ gástrico, os níveis de grelina não aumentam e, portanto, as pessoas têm um aumento da saciedade que é atribuível à manutenção dos níveis baixos dessa hormona”, disse.

Na sua experiência clínica, a investigadora verificou que a maior parte dos doentes é capaz de perder peso com dietas e exercício, mas depois “a grelina aumentava, aumentando o apetite, a ingestão e o peso, às vezes para níveis superiores”.
“É o que designamos como efeito ioiô”, sintetizou.

Assim, o papel principal desta vacina será o de prevenir “o reganho ponderal depois da perda de peso com dieta e exercício, ou seja, permitir a manutenção do peso perdido”.

09 de junho de 2011

Fonte: Lusa/SAPO


Comentários