Universidade de Coimbra recebe apoios europeus para investigar envelhecimento

A Faculdade de Medina da Universidade de Coimbra vai receber 2,4 milhões de euros da Comissão Europeia para investigar, durante cinco anos, uma área do envelhecimento humano.
créditos: AFP

Segundo Joaquim Murta, diretor da Faculdade de Medicina, trata-se de um projeto que visa a contratação de uma equipa de investigadores para estudar a biologia do envelhecimento humano, numa área que ainda não está definida.

"Será uma equipa super diferenciada, com laboratórios, investigação e ligação à parte clínica, num nicho específico da área do envelhecimento", explicou à agência Lusa o professor de medicina da UC.

O projeto da Faculdade de Medicina da UC foi um dos quatro nacionais aprovados pela Comissão Europeia, juntamente com os das Universidades do Minho, do Porto e Lisboa.

A investigação em envelhecimento é uma prioridade regional, tendo a Comissão Europeia também selecionado para financiamento o projeto da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC) para criação do Instituto Multidisciplinar do Envelhecimento, no âmbito do Programa Horizonte 2020.

Trata-se de um projeto de 20 milhões de euros em consórcio entre a Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, Instituto Pedro Nunes, universidades de Newcastle (Reino Unido), Groningen (Holanda) e Mayo Clinic (Estados Unidos da América), projetado para funcionar nas instalações do antigo Hospital Pediátrico de Coimbra.

A candidatura passou à segunda fase, segundo Joaquim Murta, que prevê um desfecho positivo do processo, até porque a Comissão Europeia "já adiantou milhares de euros", antevendo que dentro de "ano e meio ou dois anos" o espaço do antigo pediátrico esteja reabilitado e pronto a acolher o Instituto Multidisciplinar do Envelhecimento.

artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários