Unidades de saúde nos Açores mais próximas do equilíbrio financeiro, garante governo regional

Orçamento do Governo Regional para 2014 prevê 276 milhões de euros para o setor da saúde
6 de novembro de 2013 - 12h16
As unidades de saúde dos Açores estão a aproximar-se do "equilíbrio financeiro", afirma o secretário regional da Saúde, que revelou que o investimento neste setor baixará em 2014 por causa da diminuição de obras em infraestruturas.
Segundo explicou aos jornalistas Luís Cabral, no final de uma audição parlamentar sobre as propostas de Plano e Orçamento regional para 2014, na cidade da Horta, as unidades de saúde dos Açores estão a aproximar-se do "equilíbrio financeiro".
"Estamos muito próximo disso. Existem resultados preliminares que nos apontam que os hospitais estão começando a encontrar um equilíbrio financeiro e os próprios relatórios do Tribunal de Contas já o evidenciou", sublinhou Luís Cabral.
Para o titular da pasta da Saúde no Governo dos Açores, é ainda necessário continuar a realizar um "trabalho muito direto com as unidades de saúde" no sentido de encontrar alguns "focos de otimização da despesa".
Luís Cabral deu como exemplo o Hospital do Divino Espírito Santo, em São Miguel, o maior dos Açores, que "reduziu significativamente o seu défice" ao longo deste ano, demonstrando que é possível diminuir o volume de despesas das unidades de saúde.
O Orçamento do Governo Regional para 2014 prevê um montante global de 276 milhões de euros para o setor da Saúde, 40 milhões dos quais para investimentos, menos 6,5 milhões do que este ano.
Uma redução justificada por Luís Cabral com a diminuição do número de obras de construção e remodelação dos hospitais e centros de saúde.
Ainda assim, uma das grandes obras previstas para 2014 é a construção do novo centro de saúde de Ponta Delgada, um investimento que, segundo o secretário regional, vai permitir aos médicos de medicina geral e familiar desenvolver "com melhores condições as políticas de proximidade", bem como um "melhor aproveitamento dos recursos materiais e humanos".
As propostas de plano de investimentos e de orçamento dos Açores para 2014 serão debatidas e votadas no parlamento açoriano no final do mês.
Lusa
artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários