Unidade de Saúde de Azevedo-Campanhã, no Porto, reabre no dia 22

ARS do Norte justificou o encerramento temporário com falta de segurança do edifício
6 de novembro de 2013 - 17h45



A Unidade de Saúde de Azevedo-Campanhã vai reabrir no dia 22, depois de efetuadas as obras de conservação urgentes no telhado do edifício, anunciou hoje a Câmara do Porto.



O relatório da vistoria técnica realizada na segunda-feira pela Câmara do Porto e pela Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte às instalações do edifício indicam “a necessidade da realização de obras de conservação urgentes no telhado”, de acordo com um comunicado da autarquia.



“A ARS indicou à Câmara Municipal do Porto que as mesmas se iniciarão de imediato e a sua duração prevista permitirá a reabertura do Centro de Saúde no dia 22 de novembro próximo, pelo que até essa data os serviços daquela unidade serão prestados nos centros de saúde mais próximos”, acrescenta o mesmo texto.



A Câmara do Porto “saúda a reabertura do Centro de Saúde de Azevedo e a reposição dos serviços no mesmo local onde eram anteriormente prestados, como sempre defendeu, ao lado da população”.



“Embora entendendo que deveria ter sido previamente informada do encerramento daquela unidade de saúde, a Câmara congratula-se pelo clima de cooperação que, desde então, envolveu a ARS, Junta de Freguesia de Campanhã e Câmara Municipal do Porto, no diagnóstico e na solução do problema”, conclui o comunicado.



A ARS do Norte justificou o encerramento temporário da Unidade de Saúde de Azevedo-Campanhã ao final do dia de sexta-feira, alegando “manifesta falta de segurança do edifício”, onde são atendidos cerca de 12 mil utentes daquela zona oriental da cidade.



No início da semana, a população manifestou-se contra este encerramento no local e à porta da ARS, criticando ter sido surpreendida com o fecho da unidade no seu último dia de funcionamento e o ter de se deslocar, em alternativa, às unidades de saúde do Ilhéu ou S. Roque da Lameira, sendo que para ir a esta última é necessário “apanhar três autocarros”.



O presidente da Câmara do Porto criticou no sábado não ter sido informado da intenção da ARS de fechar o centro de saúde de Azevedo.



Na ocasião, o vereador da Habitação e Coesão Social, Manuel Pizarro, anunciou a realização de uma vistoria feita por técnicos da autarquia e da ARS ao local.



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários