Unidade de psiquiatria de Coimbra vai dar apoio a idosos em lares do distrito

Iniciativa pretende também formar os funcionários que trabalham de perto com os idosos

17 de julho de 2014 - 09h33

A unidade de gerontopsiquiatria do Centro Hospitalar Universitário de Coimbra (CHUC) vai prestar cuidados a idosos com perturbações psiquiátricas nos lares onde estão instalados, após a celebração um protocolo com 12 instituições do distrito.

O serviço de acompanhamento nas Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) deverá decorrer de 15 a 15 dias, pretendendo-se com esta iniciativa tornar a prestação de cuidados "mais cómoda e mais eficiente", sublinhou à agência Lusa António Reis Marques, diretor do Centro de Responsabilidade Integrada de Psiquiatria e Saúde Mental (CRI-PSM).

Segundo o diretor do CRI-PSM, este tipo de acompanhamento reduz custos e evita que os doentes, "muitos deles com graves dificuldades de mobilização", se desloquem até ao hospital, diminuindo também "o número de urgências de idosos no hospital".

A iniciativa pretende ainda formar "os funcionários que trabalham de perto com os idosos", de forma a tentar detetar precocemente "anomalias psíquicas", e dar-lhes apoio "regular", acrescentou Reis Marques.

Segundo a nota de imprensa do CHUC, o protocolo permite "melhorar o acesso dos doentes a avaliação", a partir de "consultas especializadas", "promover a permanência do doente no seu meio ambiente", assim como "melhorar os cuidados no contexto de episódio agudo".

Os sintomas de descompensação aguda, como a agitação, "são uma das principais causas que leva os doentes com demência às urgências hospitalares", refere o CHUC, frisando que, "através de um sistema de monitorização flexível, será possível intervir rapidamente e garantir que os doentes só virão ao hospital em caso de efetiva necessidade".

Com esta iniciativa, diz a nota, evita-se também "atrasos no internamento hospitalar".

Para a materialização do protocolo entre CHUC e as diferentes IPSS será criada uma equipa multidisciplinar, constituída por psiquiatras, enfermeiros, assistentes sociais e psicólogos, que se vai deslocar aos lares.

O protocolo é assinado na sexta-feira, no CHUC, entre o hospital e as diferentes instituições envolvidas.

Por Lusa

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários